10.12.12

Esquece, Arnô

Alguns anos são mais complicados. Naquele tempo eu dividia as minhas horas em entrevistas de emprego e deitado no sofá. Com tempo de sobra, eu também conseguia assistir o Intercine todos os dias. Mas nunca cheguei a ligar para escolher o filme. Numa daquelas madrugadas, o telefone tocou. Era o Arnô. Um velho amigo que também só andava com os bolsos vazios.

- Tá assistindo o Intercine? – Disse
- Tô.
- Eu sabia. Eu também.
- E aí?
- Precisamos fazer alguma coisa.
- Do que você tá falando?
- A gente precisa trabalhar. Ganhar dinheiro.
- Eu tento, mas eles não me querem.
- Vamos abrir uma agência?
- Como assim, abrir uma agência?
- Você não é formando em publicidade?
- Relações Públicas.
- Que porra é essa?
- Eu também não sei.
- Acho que teríamos uma boa agência.
- Eu não sei o que precisa para montar uma agência.
- Podia ter paredes coloridas, e a gente ia tocar violão a tarde toda.
- Esquece, Arnô.
- Então vamos abrir um escritório de engenharia.
- Engenharia, eu?
- Acho que dá certo. Eu tô quase formado. E podia ser engenharia com webdesign. Você não mexe com esse negócio de Corel, porra?
- Esquece, Arnô.
- Já sei. Televisão.
- O quê?
- A gente podia ter um programa de TV e contar várias piadas, várias histórias.
- Puta que pariu, Arnô.
- Falar nisso, você precisa conhecer Seu Totonho. Ele sabe cada história engraçada.
- Quem é seu Totonho?
- O velho que consertou meu bandolim.

 Isso já faz quase uma década. Arnô já ligou mais algumas vezes com outras propostas. Já me chamou para abrir uma loja de peixes, uma casa de bonsai, um bloco de carnaval, um puteiro em brotas, uma franquia do habib's e um cursinho pré-vestibular via internet. Certa vez insistiu que devíamos mandar um email com nossos currículos para a TV Bandeirantes para trabalharmos no CQC. Não sei se Arnô é louco ou algum tipo de gênio. Só sei que para a grande maioria das pessoas todos os anos são complicados. O mar nunca está calmo. Tenho amigos procurando emprego. Tenho amigos infelizes em suas mesas. Chegamos aos trinta e poucos e ainda não avistamos a terra firme. Onde é a linha de chegada? É uma pergunta idiota. Porque o mundo vai estar sempre lá fora dizendo, “Vamos, desgraçado, não pare de nadar”.

Enquanto isso, Arnô segue seu caminho. Hoje me mandou um email propondo sociedade num projeto para mudar o futebol baiano e talvez revolucionar o futebol mundial. O projeto tinha três linhas. Respondi: “Esquece, Arnô. Para mim, o futebol está perdendo a graça”. Também já atravessei várias noites buscando uma ideia que transformasse meus dias. Então percebia que eu não sabia fazer nada. Bem, é verdade que consegui entrar numa agência de propaganda. Tem até um violão sobre a mesa. Mas só sei tocar as mesmas músicas de sempre.

9 comentários:

Alvarêz Dewïzqe disse...

"Dont' try."

Careca disse...

Bono,
não sei tocar violão.
Abç,

Fábio Souza disse...

Zorra bicho vc se lembra de Intercine? rsrsrsrsrs eu também nunca votei.

Para mim vocês dois são gênios, sendo você um Gênio Compreendido e "Arnô" um Gênio incompreendido.

Acho que esse "Arnô" é um exemplo do trabalhador brasileiro, pois não desiste nunca, mesmo com as sacanagens que vemos todos os dias no noticiário e acho que ele deve continuar tentando pois um dia certamente acertará o gol. Ele podia tá matando, tá roubando, mas ele está trabalhando e isso faz dele um pouco louco também. E já que estamos falando de Gênio me permita citar outro gênio: Raul Seixas

"Eu devia estar contente
Porque eu tenho um emprego
Sou um dito cidadão respeitável
E ganho quatro mil cruzeiros
Por mês..."

Será (reflexão) e por ai vai. Valeu Bono mais uma vez gostei muito de seu texto, Gênial.

Abração Primo

Paulo Bono disse...

Alvarez,
Sorry, friend.

Careca,
Tecnicamente, também não sei.

Fabão,
Arnô é um puta louco.

abraço

Elga Arantes disse...

Se eu fosse flamenguista, também estaria desanimada de futebol. Que que eu estou falando? Nunca seria flamenguista!!! E, ta bom, ja sei, sou atleticana sofredora, estilo Arnô, desisto do meu Galo é nunca...

Chris Betlheen disse...

Escreva um livro! Vc tem talento...

A viajante disse...

Arnô é tão figura quanto você! E cantar afasta os males... pensa nisso! Boa sorte!!!

Paulo Bono disse...

Elga,
Ser Flamengo é umas das poucas alegrias.

Cris,
Vou pensar nisso.

Viajante,
Eu não canto tão bem. Arnô pior ainda.

abraço

guives disse...

Você só sabe tocar "Tempo perdido" do Legião Urbana, e ainda erra as vezes.