22.4.12

Que porra é protusão discal?

Dor nas costas. Uma dor terrível. Não podia sentar, ficar de pé, caminhar, deitar, escrever, tomar banho, abrir a geladeira, abrir uma Coca-Cola, peidar, respirar, olhar o horizonte, eu não podia existir sem sentir essa dor, como uma espada cortando meu fôlego. Resolvi procurar um médico. Plano de saúde fudido. Só tinha vaga para duas semanas depois. No dia, apareci no consultório. O cara me mandou inclinar a coluna pra frente e pra trás, depois disse:

- Não é nada, filho.
- Nada como?
- Só um desgaste da coluna. É da idade.
- Mas só tenho 34.
- É a vida. Vou passar uns comprimidos, vai dar tudo certo.
- Mas tô quase partindo ao meio.
- Outra coisa: você precisa perder peso, isso sim.

Foram menos de 5 minutos. Acho até que saí pior do consultório. Os dias se passaram e a coisa só fez piorar. Além da dor nas costas, começaram a vir esses choques na perna. Eu podia estar em qualquer lugar, que de repente sentia a dor se transformando numa carga elétrica e se alastrando pela perna. Resolvi procurar outro médico. Só havia vaga para duas semanas depois. No dia, apareci e fui logo atacando.

- Me ajuda. Acho que tô ficando aleijado!
- Calma, rapaz. Me conta aí.
- Tem essa dor forte nas costas que depois vira um choque escroto na perna.
- Hiii...você disse choque escroto na perna?
- Pelo amor de Deus. Foi isso mesmo que eu disse. Choque escroto na perna. Por quê?
- Tá me parecendo hérnia.
- É grave?
- Eu tive um paciente com hérnia. Um dia ele tava atravessando a rua, a hérnia atacou, ele simplesmente travou, não conseguia mais andar...
- Sério?
- Ficou ali, parado no meio da rua...
- Que merda...
- Aí veio uma Fiorino e atropelou ele.
- CARALHO!
- Brincadeira...não veio carro nenhum.
- VÁ SE FUDER, DOUTOR!
- Falando sério. Hérnia, se não cuidar, o bicho pega. Vou pedir uma ressonância magnética pra ver o que você tem.
- Vamos nessa.

Pedir autorização do plano. Esperar autorização. Marcar exame. Dez dias depois, lá estava eu fazendo a ressonância. Me deram um short verde-bebê ridículo. O short ficou tão apertado que eu mal conseguia andar ou mesmo erguer a perna para subir na mesa. “O senhor tem mais de 120 kg?” – perguntou o viadinho da ressonância. Eu disse, “Vamos em frente, campeão. Eu tô no jogo”. Eeitei, e eles ligaram a máquina. Eu estava sendo engolido pelo aparelho. Praticamente entalado ali dentro. Depois veio o barulho imponente e ensurdecedor. No início, pensei que ia enlouquecer. Depois fui me acostumando. E comecei a me sentir bem. Lá fora estavam a conta do condomínio, a carteira vazia, a falta de perspectiva para um redator em Salvador, a hipocrisia, o cinismo, a tragédia, meus 34 e conta do plano. Não escutava nada além daquele barulho, nem uma nota de pagode. Há muito não me sentia tão vivo, como naquele instante. Eu poderia morar dentro daquela máquina.

Mais dois dias, depois um feriado prolongado na Bahia, o resultado ficou pronto. Liguei para o médico. Estava em um congresso lá na casa da porra. Esperei mais uma semana. Levei os exames.

- Pelo que tô vendo aqui, você vai poder atravessar a rua tranquilo.
- O senhor vai bem nas piadas, chefe. Mas o que é que tenho?
- Só uma protusão discal na L4-L5l.
- Ok. Que porra é protusão discal?
- Quase uma hérnia. Vai ter que fazer RPG e fisioterapia.
- Fala a verdade, eu vou ficar aleijado.
- Você precisa perder um pouco de peso, isso sim.

O plano não cobria as sessões de RPG e de fisioterapia ao mesmo tempo. Decidi fazer o RPG por ser novidade. Ainda não entendi direito do que se trata. Só sei que fico lá com as pernas penduradas pra cima, enquanto a doutora estica minha coluna. Por sinal, uma bela doutora. Passo a sessão toda concentrado para não peidar na cara dela. Bem, lá se foram as últimas semanas. Crianças cheias de vida brincando lá fora, enquanto por aqui eu seguia apodrecendo, perdendo a cor e forma. É a vida. O cronograma. Gordo, careca, semicego, especialista em crises de calculo renal, a caminho de uma hérnia de disco e deitado de lado vendo meu time levar na bunda na Libertadores de uma maneira ridícula. Alguém me mate, por favor.

20 comentários:

Alvarêz Dewïzqe disse...

Cara, tenho a mesma dor nas costas e torço para o mesmo time. Eu deveria ter escrito essa história! A diferença é que não tenho plano de saúde.

Matheus disse...

Pq o blog ficou branco?

Leo disse...

Também fiz uma ressonância uma vez. Aquela barulheira me pareceu uma música do Pink Floyd viajandona. Tem gente que tem a maior crise de claustrofobia, mas achei o maior relax.

Adriana Godoy disse...

Porra!!! Embora trágico, bom pra cacete! Beijo

Paulo Bono disse...

Alvarez,
Que é isso. Você não escreve essas bobagens.

Matheus,
Boa pergunta.

Leo,
É muito tranquilo ali dentro.

Adriana.
Porra!

abraço

Anônimo disse...

Matheus,
O cara tá semicego. Resolveu dar um descanso pras vistas. :)

Pablo Araújo disse...

Bem, sinceramente não tô nem aí pra sua coluna.
Só tô escrevendo pq eu tô vendo que seus comentários tão diminuindo e eu fico com medo de vc parar de escrever.
Não sei se vc sabe, mas tem gente que curte essas porras que vc escreve de vez em quando.

A viajante disse...

Bem que estou precisando de uma máquina que me livre dos inúmeros compromissos financeiros... risos.... mas sei que tenho que encará-los...aff... boa sorte, aí, querido! Bj

Anônimo disse...

Bono, valeu o domingo!
Vc tem o raro dom de me fazer rir na frente do monitor.
Abraço,
Marcelo.

Paulo Bono disse...

Anônimo,
Você é sensacional.

Pablo,
Você me deixou deprimido.

Viajante,
Risos.

Marcelo,
Se tenho algum dom, é raro mesmo.

abraço

Anônimo disse...

O incômodo foi tanto assim, a ponto de você esquecer de se referir à 'doutora' do RPG como 'putinha'?

Mila disse...

Porra, eu tava viajando daí passei maior tempão sem vir aqui. Mil coisas pra comentar sobre esse texto. Minha primeira ressonância foi aos 11 anos de idade. 1 hora e meia naquela joça, daí deua merda na da cervical, passei mais meia hora la dentro. Doía ficar na mesma posição. Deu uma escoliose monstra. Daí fui fazer RPG, o doutor era mega feião e irritante.Odiava. Por isso que gosto de Hidroterapia. Vc não sua e não precisa se concentrar pra não peidar, pq sai as bolinhas, mas ninguém nota, se a água já estiver meio turbulenta por causa de algum gordo pulando na cama elástica. Vc devia tentar. Saudade, cara. Você é sensacional.

Adriano Oliveira disse...

Massa, cara.

Paulo Bono disse...

Anônimo,
Mais respeito com a doutora.

Mila,
Hidroterapia para bom. Mas sempre que estou numa piscina, acho que todos estão om nojo de entrar na porra da piscina.

Adriano,
Valeu, cara.

abraço

Pequena disse...

Ri mto, acho que me identifiquei com essa parte do médico mal olhar na sua cara e já ir passando um remedinho, da vontade de jogar a receita na cara dele.
Mas olha Bono, pra tudo na vida tem uma solução e a sua é mto simples: muda de time.
Bjão!

Cuca disse...

Achoq ue gostarás de ler minha experiência com a tal protusão discal: http://www.cuca.in/pessoal/knocking_on_the_hells_door/

Belo blog! Não desista!

miu disse...

Muito bom, me acabei de rir com a descrição de RPG, acho q dou sorte com RPG pq meus fisioterapeutas são divertidos!

rodrigo khalil disse...

estou com essa porra de protrusão discal , ai todo mundo fica falando , emagrece vai caminhar , depois não fica reclamando!!!! por fim estou emagrecendo e tomando remedio e agora tenho que fazer fisioterapia!!!!abraçs

Anônimo disse...

Cara, cagando de rir aqui.
Passei e estou passando por tudo isso.
Tô na fase da RPG.....
E peidei, sim, na cara da fisioterapeuta.

Ouvi um "opa, é normal". Fingimos que nada havia ocorrido e fomos em frente.
kkkkkkk abs

Anônimo disse...

Cara, não sei se dou risada ou se choro lendo seus textos, só que sei gosto deles... um abraço. Saúde.

Iury