13.12.11

Preliminares

- Fica no quinto andar.
- O quê?
- O cofre.
- Que horas eles saem?
- Nove horas, não tem mais ninguém.
- Sem alarme?
- Sem alarme.
- E o velho da limpeza?
- Não trabalha mais à noite.
- O vigia?
- Ronca depois das dez.
- Tem certeza que não tem alarme?
- Tem uma coisa.
- O quê?
- Ninguém precisa morrer.
- Como assim?
- Você pode ficar histérica se alguém aparecer. Mulher costuma ficar histérica nessas horas.
- Eu não vou ficar histérica.
- Eu ainda tenho muita vontade de matar alguém nessa vida, mas não precisa ser dessa vez. Então não vá fazer nenhuma besteira.
- Mas a gente vai ter alguma arma?
- Tá doida, caralho?
- E você vai saber abrir?
- O quê?
- O cofre.
- Eu fico nervoso com esses trabalhos manuais, acabo fazendo merda. Melhor você abrir.
- Ah, eu tenho medo. Melhor desistir.
- Tudo bem. Então é melhor jogar na mega da virada.
- Pode ser. Mas não dou sorte nessas coisas.
- Ano passado acertamos a quadra no bolão da agência.
- Sério?
- Com os números que eu marquei.
- Massa.
- 600 conto.
- Pra cada um?
- 60 pra cada.
- Nunca ganhei um centavo.
- Comemoramos no Takê.
- Minha mãe que tem sorte nesse negócio de loteria...
- Me passa o vinho.
- Se eu ganhasse ia passar o resto da vida viajando...
- Se eu ganhasse, eu ia ser mau...
- Passar um ano na Europa...
- Eu ia ser mau caráter mesmo, andar por aí arrogante, ia humilhar muita gente, mandar muita gente tomar no cu, botar pra fuder...
- Ridículo.
- Sabe o que eu ia fazer?
- Gostei desse vinho, macio...
- Ia entrar numa dessas lojas de grife. Dessas caras, chiquezinhas, que os vendedores são tudo uns viadinhos metidos ou umas putinhas empinadas que se acham melhor que a gente. Ia entrar numa loja dessas, de bermuda e sandália, parar assim no meio da loja, coçar meu ovo e dizer, ME VÊ A CALÇA MAIS CARA DESSA PORRA! Aí o viadinho ia fazer aquela cara, tipo, “Não tem nada do seu tamanho aqui, seu ogro nojento”. E eu ia dizer, VOCÊ É SURDO, VIADO? ME TRAGA A CALÇA MAIS CARA DESSA PORRA! Nisso, teria uma a putinha vendedora assustada assim no canto, e eu diria, E VOCÊ, FIQUE QUIETINHA, SUA PUTA, QUE DEPOIS VOU QUERER COMER SEU CU!. E quando o viadinho chegasse com a calça, uma porra de uma calça de 1500 reais que não entraria nem no meu dedão do pé, eu ia arriar a bermuda, me agachar, dar uma cagada violenta no meio da loja, e me limpar com a porra calça. Depois eu jogava o dinheiro no chão e saía...
- Você é ridículo...
- O quê?
- Fica pensando essas coisas, nessas besteiras, por isso que nunca vai ganhar.
- Porra nenhuma. Já acertei a quadra ano passado...
- Ninguém ia gostar de você.
- Não seja ingênua, Eu seria rico. Todo mundo ia querer gostar de mim. As BUCETAS iam gostar de mim.
- Seu estúpido...
- Eu ia falar outra coisa, esqueci...
- Devia ser outra besteira...
- Porra, esqueci...
- Ainda vai querer vinho?
- Se eu tomar mais, não consigo gozar.
- Nossa, e já tá duro assim, é?
- Pois é. Dê logo uma chupadinha, na manha...
- Porra, por que sempre tem que começar com uma chupada?
- Questão de princípios, pequena.
- Idiota...
- Ôpa, devagar...isso...isso...puta que pariu...ô linguinha sacana...ah, lembrei o que ia dizer...
- Hum?
- Se eu ganhasse na mega, ia botar também uma piscina térmica em casa. Acho de fuder uma piscininha de água quente...