10.7.11

A Estrada

Homem joga pedra em gato, abandona criança em lata de lixo, faz promessas na TV, rouba vaga de aleijado, desvia dinheiro da saúde, não devolve troco que veio a mais, humilha quem é preto, chuta quem é pobre, taca fogo em índio, esmaga quem é diferente, vende a alma, não paga o salário, mente, sente inveja, mata por tudo, mata por nada, atropela e foge. O jegue é bom, o homem é mau.



Quando eu soube do Pina, pensei, no fim das contas, a vida não passa de um jogo, um jogo sujo, num campo de várzea, sem leis, sem regras, sem bom senso, sem desculpas, um joguete que mais cedo ou mais tarde você vai perder de qualquer jeito. Conheci Pina nos tempos de estágio. Sua vida era na estrada. Dormindo em hotéis baratos, comendo em postos de gasolina e conhecendo putinhas interestaduais. Seu objetivo era conhecer o país de cima a baixo, seguindo o calor da estrada. Nunca fui tão longe com Pina, no máximo até Ilhéus. Minha viagem sempre foi a preguiça. Mas a diferença entre nós dois era que Pina acreditava nas pessoas. Uma espécie de Dom Quixote que realmente acreditava na bondade do ser-humano.

“Você ainda vai se fuder numa dessas” – eu dizia. Acontece que Pina tinha essa mania. Dava carona a qualquer pessoa. Homem, mulher, velho, criança, traveco, até freira, qualquer um que lhe estendesse a mão, Pina abria maldita porta do carro. Eu dizia – “você é louco” – “Já fui carona, Bono” – ele dizia – “Na estrada, tem sempre alguém precisando de ajuda”. Porra de ajuda. Uma vez conheci um taxista que já tinha sido assaltado 19 vezes, sendo que, numa dessas, ele havia parado para uma puta que supostamente estava dando à luz. Disse que hoje em dia não parava à noite nem que avistasse o próprio Jesus Cristo distribuindo pão com manteiga. Vou dizer uma coisa, também não espero boa coisa do meu semelhante, prefiro me surpreender com gestos de bondade, mas não aposto minhas fichas em seres humanos. Mas vamos lá, talvez eu seja apenas um gordo amargo e revoltado só porque já levei alguns tropeços nessa vida, e Pina fosse uma pessoa bem melhor que eu. A caminho do hospital, lembrei da nossa última viagem. Uma mulher e dois garotos na beira da estrada. Pina parou o carro.

- Caralho, Pina. Não para não – eu disse
- Uma mulher e dois garotos – disse Pina
- Depois o pai sai do mato com uma machadinha na mão.
- Prefiro fazer a minha parte, Bono.
- Merda, o guri é a cara do Charles Bronson.

Mas dessa vez não houve tempo para carona. Pelo que entendi, Pina avistou um mochileiro estendendo a mão. Parou no acostamento, perguntou para onde ia e ofereceu a carona. Mas disse que antes ia dar uma mijada. Então Pina desceu do carro, caminhou alguns metros e bateu o mijão. Acontece que quando Pina voltava para o carro, veio de lá outro veículo desgovernado e acertou a porta o carro e de alguma forma atingiu Pina e depois um velho e um burro que vinham mais adiante. O escroto fugiu sem dar socorro.

Encontrei Pina todo enfaixado, só com os olhinhos de fora. Quebrou o fêmur, rachou a cabeça e fudeu com algumas costelas. Cheguei na hora da fisioterapia. Ele não ia poder dirigir por algum tempo. Mas estava animado. Pina era uma pessoa melhor do que eu.

- Foi o carona que pediu socorro – disse Pina – o que você me diz agora?
- Você é um merda.
- Eu faço a minha parte, Bono.
- Disseram que tinha um velho com um burrinho?
- O velho tá melhor que eu. Mas parece que o bicho teve que ser sacrificado.
- Porra, você tá feio pra caralho.
- Depois fico bonito de novo. E você, seu gordo??
- Depois a gente vai pra Fortaleza. Mas vamos de avião. Tá rolando umas promoções de passagem.
- Comer barra de cereal? Sou mais pegar a estrada e encarar aquele pastel gigante do posto.

21 comentários:

Myself disse...

Isso dava um curta. Sério!

Também espero sempre o pior dos outros...

Amei o post!

Bjos!

Lucas disse...

demasiadamente bom.

Alvarêz Dewïzqe disse...

"a vida não passa de um jogo, um jogo sujo, num campo de várzea".
Bono, meu chapa, isso é poesia.

Paulo Bono disse...

Myself,
O pior dos outros é mais garantido.

Lucas,
demasiado obrigado.

Alvarêz,
Pra mim, o que você fala tá falado.

abraço

Careca disse...

Bono, post bacana. Mandou bem. Abç,

Adriana Godoy disse...

Porra, gostei desse texto...ainda tem gente como Pina no mundo. Ainda bem. Que ele possa fazer muitas viagens ainda. Bj

Jesus disse...

Porra, parar pra freira não existe!!!!!!!!!!!

Dexter disse...

Entendo o Pina, mas a atitude dele não deixa de ser uma loteria. E que pode ser tornar uma loteria macabra.
Mas, cada um é como é. Os Pinas da vida são assim e pronto.

Paulo Bono disse...

Carecone,
Valeu.

Adriana,
Pina é um bom sujeito. Mas a humanidade é uma merda.

Jesus,
A regra é clara.

abraço

Mila disse...

Caramba, que texto incrível. Sou dessas que vive dividida entre ser q nem Pina e ser cética em relação a humanidade. Meu pai foi morto a tiros por um cara que trabalhava com ele há 11 anos. Mas conheço muitas pessoas que dariam a vida por estranhos. Acho que a vida tá aí pra gente fazer nossa parte, jogando um pouco a responsabilidade pro acaso.
Sensacional seu texto, Bono.

Chico GOmes disse...

Querer o melhor, esperar o pior e agradecer pelo que vier.
O foda do teu site é que depois só vejo listras brancas. Mas mesmo assim eu volto pra ler seus pensamentos quando a barriga é cheia.

Paulo Bono disse...

Dexter,
Pois é. E eu sou aposto na Mega, lotofácil e no poker.

Mila,
É por causa de histórias como a sua que sou cético.

Chico,
Eu vejo listras amarelas.

abraço

A viajante disse...

...na estrada há de tudo, na vida tb... e depois de tantos acidentes aéreos, eu já não sei aonde encontraremos segurança! Bj, Bono!

Mwho disse...

Bono,
"Minha viagem é ... a preguiça".
Esta vai para o meu dicionário!!!
Abraço,
Mwho.

Lex Blagus disse...

Porra, Bono, seus posts são sempre de fouder, broder.

Paulo Bono disse...

Viajante,
O que é segurança?

Mwho,
Ok. Mas fique sabendo que estou no top 5 dos mais preguiçosos.

Lex,
Valeu, brother.

abraço

Neguinha da Fé disse...

excelente. principalmente as notícias do começo.

Ane Brasil disse...

Que texto lindo.
Amei seu amigo Pina.
TAlvez ele não seja melhor nem pior que você ou eu... é apenas mais doido.
Sorte e saúde pra todos??!

Leo disse...

O duro é que uma vez achei um Pina que era de uma igreja dessas de crentes malucos, que ficou contando milagres psicodélicos e tentando fazer a nossa conversão durante toda uma carona de quase duas horas... Abraço.

Pauliane Brito disse...

Já recebi duas caronas divinas no tipo que eu mesma pensaria três vezes antes de dá, felizmente existe gente que nem o Pina.

Paulo Bono disse...

Neguinha,
E olha que você é da fé.

Ane,
Pina é um bom sacana.

Leo,
Nessas horas você tem que dormir.

Pauliane,
Felizmente?

abraço