30.6.10

20 minutos

Bem, eu queria um assunto para escrever. Vou falar sobre hoje. Almocei com uns amigos. O pessoal da nova agência e outras figuras. E tinha esse redator, o Nobre. Ele dizia que Prision Break é a melhor série que existe. Para mim, não me diz nada. Na verdade, acho que estas séries cheias de traminhas, fugas, escotilhas e enigmas não passam de enrolação. Eles te enganam o tempo todo. O pessoal passa uma temporada inteira com medo de determinado cara, “Ah, cuidado, aquele é o inimigo picudo”. Na temporada seguinte, você descobre que esse cara não passava de um estagiário, um office-boy de um sub-chefe que tem outro chefe que tem outro chefe de uma puta organização maligna e mundial. Uma putaria da porra. Pura enganação. E esse Nobre, que também é fanático pelo presidente, defendia Prision Break com unhas e dentes, defendendo os personagens, e batia na mesa e gesticulava como um sindicalista, chamando a atenção de todo o restaurante. A discussão só terminou quando perguntei para quem ele daria o cu, Lula ou o viado lá de Prision Break.

Hoje também passei na casa dos velhos. 20 minutos. Os 20 minutos da saudade. Você sabe, aquele tempo que só rola coisas boas, sorrisos e amenidades. Em até 20 minutos até o cachorro parece contente com minha presença, como se também quisesse saber das novidades. Depois disso, só vem cobranças e pauladas. E foram bons 20 minutos. Meu pai perguntou sobre o trabalho, as novidades e contou alguns planos. Enquanto ele falava, eu apenas pensava, caralho, eu tinha que herdar essa careca? Mas não posso ser injusto. A situação dele é pior. Ele me herdou como filho. E às vezes acho que meu velho me acha um merda. Quanto à minha mãe, ela também perguntou sobre a nova agência, se eu estava conseguindo fazer tudo que me pediam, e depois contou as novidades sobre tios, primos e vizinhos. Enquanto ela falava, eu só pensava, caralho, se eu tivesse herdado esses olhos verdes ia comer muita gente.

- Foi no médico? – perguntou meu pai.
- Fui – eu disse – mas o sacana demorou de atender, e eu me piquei.
- Paulo, não pode ser assim – disse minha mãe.
- Você anda muito nervoso – disse meu pai.
- O quê? Ele chega a hora que quer, e eu saio a hora que quero.
- Paulo, meu filho, por que você é assim? – disse minha mãe – será que é porque você deu trabalho pra nascer?
- Puta que pariu, até pra nascer eu dei trabalho?
- Demorou de sair...
- Eu bati a cabeça no parto, foi isso?
- Não, passou da hora, demorou, ia e voltava pro hospital. Acho que é por isso que você é assim.
- Assim como, meu Deus?
- Nervoso – disse meu pai – você anda muito nervoso e impaciente.
- Paulo – disse minha mãe – por que você não procura um profissional, um psicólogo?

Nesse instante, olhei o relógio e vi que já passava dos 20 minutos. Então levantei e até o cachorro começou a latir pro meu lado.

- Tá na minha hora – eu disse.
- Ele agora é assim – disse meu pai – visita de médico.
- Quer iogurte? – perguntou minha mãe.
- Não.
- Quer pão?
- Não.
- Tá precisando de dinheiro?
- Como assim?
- Algum dinheirinho, tá precisando não?
- Que porra é essa? A senhora acha mesmo que não sou capaz de pagar minhas contas, comprar meu iogurte, que eu não vou conseguir, que eu sou um incapaz, é por causa daquele papo de bater a cabeça na hora do parto, não é?
- Quer biscoito? Leve biscoito.

Me despedi dos velhos com um abraço apertado, um beijo na careca e caí fora. Na saída, encontrei o Tuta, um primo de 12 anos que agora dorme em meu antigo quarto.

- Vem cá, seu sacana – eu disse.
- Paulo, você viu o Brasil?
- Brasil uma porra. Eu tô sabendo.
- Hum?
- Você já tá batendo suas punhetas, né?
- Hum?
- Hum uma porra. Tá todo mundo vendo você entrar e sair do banheiro com revista na mão.
...
- Não faça essa cara não. Pode bater sua punheta. Mas seja discreto, seu merda. Eu bati punheta a vida toda e nunca dei mole. Tem que ser profissional. Você achou minhas revistas na gaveta, não foi?
- Hum?
- Hum uma porra, meu irmão, fale a verdade.
- Hum hum
- Ok. Vou te deixar de herança. Mas seja discreto nessa porra.
- Tá.
- Qual sua favorita?
- As trigêmeas.
- Boa.

Quando cheguei em casa, tomei um banho, bebi um copo de Nescau e fui assistir a House. Sim, eu não disse quais as minhas séries? Acho Seinfeld a melhor de todos os tempos. Mas também gosto de House. Isso, sou do time de George Costanza e Gregory House. Imbecis, estúpidos ou desprezíveis, são o que são, e não enganam ninguém.

23 comentários:

Jusciney disse...

Paulo Bono, você é uma figura. Careca, de cabeça doida...agora entendi...tem a ver com o momento: cheguei na putaria desse mundo!
Minha série favorita é Friends. Não porque são lindos e queridinhos da américa. Gosto porque gosto. Sem mais delongas...somos todos imbecis, acho.

Bruno Porciuncula disse...

Até que enfim voltou a escrever (como sempre: muito bem) nessa porra!
Rapaz, essa dos olhos verdes sei como é... minha mãe tem olhos verdes, meu irmão e irmã herdaram... e eu fiquei com os olhos castanho... foda...
E Prison Break é uma merda mesmo!!!!

Anônimo disse...

1. Quando mudo de agência minha mãe tb sempre pergunta se estou dando conta (tb nasci com cara de tonto).
2. Tb fugi da minha última consulta. Não mostrei minha endoscopia pra ninguém até hoje.
3. Sou seu fá.
Abç do Oral

Marcos Satoru Kawanami disse...

Paulo,

O mau humor é um estilo divertido, e dá vaza a muita observação crítica.

Eu nunca tive coragem de comprar revista erótica, tocava punheta vendo a seção Gente da revista Veja que minha tia assinava; nessa seção, em semanas intercaladas, saía alguma moça com alguma roupa mais econômica, às vezes até de biquini.

Só em Ouro Preto, numa república da UFOP é que tive contato com uma perseguida, e, num momento de epifania, foi-me revelado que o buraco é mais em baixo, e o bicho é feio com um buraco no meio, e o trem fede mas é bom, e a vida eterna existe!

=D
Marcos

corujinha disse...

"As trigêmeas" deve ser boa mesmo.
E vou pegar essas dicas de séries aqui.

Guives disse...

Porra man, ta vendo ai que você é uma boa pessoa, de coração bom. Deu suas playboys pra seu sobrinho. Não existe coisa mais bonita no mundo do que essa atitude sua. To louco pra que meu sobrinho cresça logo pra dar minhas revistas pra ele. Só não vou dar a de Tiazinha, aquela não.

ps: O Nobre, além de fã do Lula e de Prision Break é viciado em Guitar Hero.

Carina disse...

hahahahahahahaha muito foda. passo mal de rir com vc, Bono. Adoro George Cosntanza tbm, mas ele não assume quem é, ele é sempre o "arquiteto" rs.

beijos.

Nathalia disse...

Às vezes 20 minutos é mais do que o saudável...

Seinfeld é otimo, melhor série de humor. Tô assistindo bastante Breaking Bad agora, muito bom também.

Karina disse...

Prision Break foi a pior série dos últimos tempos e ninguém supera House e sua inteligência sarcástica. Bom texto!

farinhademandioca disse...

Ahahahahahahah

Os 20 minutos de saudade da família é genial!!!

Paulo Bono disse...

Jusciney,
Já tentei Friends. Mas não rola.

Oral,
Meu exame de alergia eu rasguei na própria clínica.

Kawanami,
Essa seção Gente era sensacional.

Guives,
Tiazinha é fraca. A das trigêmeas foi 3 vezes melhor.

Carina,
É verdade, George queria ser o Art Venderley. Mas era uma imbecil completo. E todo mundo sabia disso.

Nathalia,
Vou dar um saque nessa Breaking Bad. Valeu.

Bruno e Karina.
Tb não gosto de Prision Break, mas sinceramente tem outras merdas por aí.

abraço a todos

Mel disse...

Uma tarde eu achei revistas do meu avô, escondidas num baú que ficava no quarto dos velhos. Devia ter uns 13 anos, acho. Não lembro quando exatamente descobri que aquele capuz esquisitinho na pererequinha ainda quase sem pelos podia render noites e banhos e mais noites de explosões até cansar e formigar os braços. As revistas me deram tesão na época também. Artistas da década de 20? 30? 40? Sabe-se lá... meu avô era um punheteiro! Hahahahah!

Marcos Satoru Kawanami disse...

Paulo,

sensacional foi a série humorística do Jô Soares na Veja, o gordo fez história... colecionei; tenho até hoje as folhas guardadinhas.

Mwho disse...

Bono,
Obrigado pela dica dos 20 minutos!!!
Para não parecer plágio, vou só transformar em 15...

jesus disse...

Alou PB

pelo menos lula é pé quente

Rodrigo Carreiro disse...

Você é o House dos blogs

Daniel Pfaender disse...

George nunca enganou ninguém mesmo! Fato! Melhor série de todos os tempos! Já assistiu Curb Your Enthusiasm (Segura a Onda)? É do Larry David, o co-criador de Seinfeld, Larry é George Constanza declarado! É excelente!

abraço!

Paulo Bono disse...

Mel,
A primeira revista que encontrei foi de um baile de carnaval. a maior putaria em preto e branco.

Carreiro,
House é capenga. Eu sou gordo e careca.

Pfaender,
Gosto muito de Segura a Onda.
É isso. Muitas das merdas que o Costanza passou foram situações que o Larry viveu.

abraço

Fábio disse...

Seinfeld foi foda mesmo.
Não curto House, mas também nunca tive saco para assistir um episódio inteiro. Já o Larry David é engraçado demais. E tá perfeito no filme do Woody Allen.

Abraços.

Pablo Araújo disse...

Não só Bono. Todos vcs esqueçam todas essas séries e assistam californication depois me falem http://sooschatossobrevivem.blogspot.com/

Mateus Henrique Zanelatti disse...

House é legal, Californication também, Friends é bom. Cada um com seu maldito gosto.
.
.
.
Bono, parece que sua vida tá melhorando.

Abraço!

Elga Arantes disse...

"ASSIM COMO, MEU DEUS", foi o que mais me chamou a atenção. 'ASSIM COMO, MEU DEUS". Isso mesmo!!! rs...

Será que um dia vou ser assim, como vc? Não gordo, careca e preguiçoso, mas um puta escritor!

Mas,caramba (!), vc demora muito pra escrever.

Até mais, Bono.

Inácio França disse...

As trigêmeas... ah, as trigêmeas. Também bati umas punhetinhas para as três gauchinhas. Depois, as entrevistei pro Diário de PE quando elas vieram animar um baile de carnaval em Jaboatão! Decadência da porra. Mas elas valiam uma punheta. pode ficar sossegado, não hoube desperdício.