8.3.10

Desequilíbrio

Lá vem o gordinho. Da janela, sempre vejo esse gordinho voltar da escola. Tem no máximo uns 12 anos. Deve estar passando por momentos difíceis. Outro dia o vi chegar com a camisa rasgada. Chorando. Agora estava apenas com a cabeça baixa. Chutando uma lata pelo caminho. Lembro bem disso. Não é fácil ser gordo, filho. Tinha vontade de dizer a ele, ao gordinho, que as armadilhas só começam desaparecer quando ele der o primeiro soco. O primeiro soco é peça chave. Tenho pensado demais em dar alguns bons diretos esses dias. Talvez seja o calor. Uma vez, Nina disse que eu estava perdendo o controle. “Você está ficando maluco, Paulo”. Só porque soltei alguns porras, caralhos e merdas enquanto procurava o controle remoto. Realmente essas coisas me tiram do sério. Essas pequenas coisas que impedem que a vida flua tranquilamente. Como não conseguir abrir um pacote de biscoito. Ou não conseguir abrir uma camisinha. Ou alguém cantando atrás de você na fila das Americanas. Ou não encontrar o controle remoto. Ok, assumo a minha estupidez. Mas existem coisas piores. Como ser hipócrita ou gostar de pagode. Além disso, é mais digno que falem, “lá vem o gordo estúpido” do que “lá vem o gordo otário”. Eles só mexem com quem está quieto. Já passei pela sexta-série. Hoje em dia prefiro morder a ser mordido. Dói menos. O problema é que ninguém pode ver um gordinho, que acham que é otário. São os apelidos escrotos. É o lanche que roubam. É o tênis que escondem. É o freela que não pagam. O vendedor que enrola. O médico que se atrasa. O pedreiro que não aparece. São também os crentes que batem na porta. É a operadora de telefonia que cobra 100 reais a mais na fatura. É aquele garçom que se acha esperto.

Outro dia fui almoçar com o pessoal da nova agência. Num desses restaurantes da orla que dizem ter o melhor caranguejo da cidade, como se isso fosse grande coisa. As pessoas da nova agência, elas também me irritam. Estão sempre felizes. Estavam lá, contando piadas, inventando joguinhos e dinâmicas, todas elas sorrindo. Quando resolvi perturbar a paz e perguntar ao garçom se a farofa que acompanhava a moqueca era de dendê. Ele disse que era. Perguntei novamente, ele confirmou que sim. Deve ser a minha cara de gordinho otário, porque logo depois o filho da puta apareceu com um potinho de farofa de manteiga. “Essa porra não é de dendê”, eu disse. O sacana disse, “É, senhor, farofa de dendê”. Eu disse, “Caralho, meu irmão, diga qualquer coisa, mas não insulte minha inteligência, essa porra não é de dendê”. Nessa hora, os felizes da nova agência começaram a dizer que eu reclamava de tudo. Então apareceu outro garçom, e disse que realmente a farofa não era de dendê. Foi quando o primeiro garçom, o filho da puta, olhou pra minha cara, sorriu, fez sinal de positivo, e disse, “Mas essa é da boa!”. É claro que eu disse, “Vai tomar no cu!” Depois até trouxeram uma farofa de dendê. Claro que não comi. Devia estar mijada, no mínimo. Logo depois, os felizes da nova agência começaram aquela conversinha de Natal:

- Pode ser assim não, Bono.
- Que é isso, Bono?
- Por causa de uma farofa?
- Cara, você tá muito nervoso.
- Eu não tô nervoso – eu disse – só cansei de ser o gordinho da escola.
- Você precisa de uma terapia, Bono. É sério.

29 comentários:

Lília disse...

Relax cara, relaxa mesmo, de verdade! Ah estou esperando vc me mandar toma no c........
Rsrsrs. Só para descontrair!

Careca disse...

Bono, dessa vez o gordo não comeu ninguém? :)

Erick Moreno disse...

Pior que ser gordo é ser gordo em Salvador. É pra mandar metido a malandro tomar no CU mesmo, Bono.

RUInaldinho disse...

Nada, véi...tá certo, mesmo...queria eu ter estômago pra nunca perder uma na vida...mas ninguém é perfeito, kkkkkk

Abraço!

naire valadares disse...

Bono,
Tu arrasa, cara.
"Hoje em dia prefiro morder a ser mordido. Dói menos." Compartilho do pensamento,perfeito.
Beijo
Naire
www.turbantedanaire.blogspot.com

Marcos Satoru Kawanami disse...

ó, cara, gordinho que nem tu tem de ser humilde, mora?

senão leva porrada!

se ficar mandando os outros tomar no cu, acaba na vala!

aí é que tu tá sendo um gordinho otário mesmo. otário, nervosinho e ridículo.

eu sou japa. e, por ser japa, aprendi a ser humilde. solidariedade, mano, solidariedade.


ih, caralho! moderação de comentários... fudeu. bem coisa de gordo inseguro.

Mila disse...

Porra, Bono, obrigada.
Achei que era só eu que tava ficando assim, "nervosa" como os felizes dizem. Eu, que sempre fui pacífica, estou me tornando uma intolerante frustrada, por que não tenho coragem de mandar tomar no cu quem não me manda minha "farofa de dendê", apesar de estar cansada de ser a gordinha da escola.
Adoro seu blog!
Um abraço

Guives disse...

Pode ser assim não, Bono.
- Que é isso, Bono?
- Por causa de uma farofa?
- Cara, você tá muito nervoso.
- Você precisa de uma terapia, Bono. É sério.

Fábio disse...

Não adianta choramingar
A verdade é que o mundo é dos escrotos e a vida não é justa seja pra gordo, magro, preto ou branco.

Bater em gordo não é fácil, por isso tu pode sair por aí mandando qualquer um tomar no cú.

Abraços.

Elas disse...

Depois te conto o que acho de tudo isso. Antes, queria que lesse essa história: http://somosextraordinarias.blogspot.com/2010/03/pos-nosso-dia.html
Abraços

JuANiTo disse...

- Pode ser assim não, Bono.
- Que é isso, Bono?
- Por causa de uma farofa?
- Cara, você tá muito nervoso.
- Você precisa de uma terapia, Bono. É sério. [2]

Anônimo disse...

O povo da nova agência é viciado em remedinhos-para-ficar-zen-alegre e foder com seu time dando tapinhas nas costas.

Anônimo disse...

A irritação é causada pelo excesso de calor, com certeza! Perder o controle remoto, ser pirraçado por quem não tem noção da nossa falta de paciência...isso sim, irrita e muito! Mas ser gordo não é o fim do mundo. Ser idiota sim. O mundo está cheio deles!

Chico Arruda e outros disse...

Todo mundo precisa de uma terapia, Bono.Ler o que você escreve também é terapêutico, carai!

Ana Paula - Executiva Atendimento disse...

Ficar com os nervos a flor da pele com facilidade não é só vc Bono... Velho me irrito fácil.. principalmente nesse calor...

Daniel Pfaender disse...

Caso preocupante é o daquele gordinho nerd irritado, Mateus Meira, que munido de uma Cobray M11 pipocou geral lá no Morumbi Shopping, durante uma sessão de Clube da Luta. Esse, não teve terpia que resolvesse.

Mandar tomar no cu não é caso que necessite de terapia, já é por si só uma terapia, ajuda a relaxar e extravasar. Aquela situação: antes de mandar tomar no cu = tenso, depois = relaxado.

abraços!

Sunflower disse...

Quer ficar literalmente doente de calor e perder completamente as estribeiras pelas coisas mais absurdas?

Pergunte-me como.

Beijas

Ricardo Dib disse...

Até os 14 anos eu era gordo também, ou seja, fui o gordo da escola também. É foda!
Por isso aos 15 anos me empenhei pra caralho pra emagrecer.

Abraço.

Marcos Satoru Kawanami disse...

Sun,

eu lhe pergunto: como?



Bono,

parabéns por acabar com a moderação. atitude de macho.


=D
Marcos

Elga Arantes disse...

É como me sinto quando vou ao mecânico: O estigma da loura burra.

Mas que tu é folgago, é!! Vai acabar na vala. Desovado...

Jotapê disse...

Eu era gordinho e tinha o respeito da galera, mesmo não sendo o band leader.

Bruno disse...

"Não se trata do quão forte você bate e sim do quanto você aguenta apanhar e ainda ficar em pé." Rocky Balboa resumiu minha vida.

E, cara, eu tenho 3 melhores amigos: os três gordos. Acho que eu tenho alma de gordo, eu sou gordo honorário.

Abraço

Paulo Bono disse...

Moreno,
Você disse tudo. Ser gordo nessa terra de "gente bonita" é foda.

Chico,
Escrever é mais ainda.

Pfaender,
Tudo se resolve com um "foda-se".

Dib,
Parabéns.

Bruno,
Essa do Rocky é uma clássica.

abraço a todos

moral disse...

porra paulo! vocês comem essa porra dessa farofa de dendê até em almoço de negócios? por isso é que baiano não trabalha...

Vené

Jesus disse...

Meu amigo Paulo Bono,

esse excelente texto me lembra o dia em que aprendi a ser feliz com a minha depressão.

Ana Paula disse...

Hi, Buk

Odeio conversinhas de Natal, mas concordo com Jesus.

"Pode ser assim não, Bono." Rio sempre que releio.

Love,

Sra. Bono.

Ric Dexter disse...

Terapia de cu é rola!

Abraço.

tenório disse...

Porra! É sempre comemorando que chego ao final dos seus textos. Essa sua prosa é viciante, é sempre pouco pra gente que quer mais.

Sério, vc fala que aqui não é blog de literatura, mas como é que faz se é a melhor leitura da net e de fora dela?

Grande abraço.

Mwho disse...

Bono,
Todo gordinho devia ganhar um DVD com umas lutas de sumô e um vídeo de auto-ajuda ensinando a dar a primeira porrada!!!
Psicologia pura.