25.1.10

Nova Temporada

“Sacaninha careca”. Foi a última frase que digitei. Como se fosse a última gota. Depois fui dormir. Estava cansado. Precisava de um tempo. Passar alguns dias sem me preocupar em ter algo a dizer, de preferência algo engraçado. Olha só que merda estou falando agora. Quem diabos eu sou pra achar que tenho algo a dizer? Esse é o problema de um blog. Faz com que um bando de medíocres como eu saiam por aí dizendo tudo que pensam – ou não pensam –, se achando os escritores, os poetas, os sensíveis, os ferinos, os Bukowskis, os críticos, os criativos, os piadistas, os fodões, os desejados. Se achando tão necessários e importantes, acreditando piamente em tudo que dizem por aí naquela seção de comentários. Aí recebo um e-mail de um cara dizendo que escrevo pra caralho e que precisamos marcar pra tomar uma. Por um instante acredito em tudo aquilo e me sinto estupidamente metido e importante. Então vou tomar uma, comer uma pititinga com a turma. É quando todos descobrem que não passo de um completo idiota. Por isso eu precisava desse tempo. Janeiro é um bom mês para se ganhar tempo. Poucos jobs na agência, menos engarrafamentos, aquela letargia embriagante, enquanto tudo segue em seu mesmíssimo lugar: o calor, o sol, os ensaios de verão, a alegria contagiante de tanta gente bonita. Nada para gordos. Nada de novo. Então aparece esse filme, o Avatar. Eu desconfiava, mas falavam em revolução e tal. Fui assistir. Nada demais. Que merda significa revolução? Mas só se fala nisso. No dia seguinte eu estava com o Camaça. Pegava um churrasquinho na Favelinha.

- Você precisa entender, Bono – disse Camaça –, a história do cinema agora se divide em pré e pós-Avatar. É uma revolução, sim.
- Revolução de merda. Uns carinhas azuis que vivem na floresta e lutam contra o homem. Vai tomar no cu. Essa historia os Smurfs já contavam.
- Só o que presta é seu blog. Você é o sabichão. Só você tem história original. Tudo repetido também naquela porra. A putinha do caixa, a putinha da recepção, a putinha do não sei o quê.
- Sabe o que lembrei agora?
- Hum.
- Daquele episódio dos Smurfs. Que o Papai Smurf levava a turma pra uma caverna, eu acho, aí era longe pra porra, e todo hora a galera perguntava, falta muito, Papai Smurf?
- Smurfs era do caralho.
- “Falta muito, Papai Smurf?” Porra, sempre lembro desse.
- As aventuras de Cacá. Também era de fuder.
- Porra, sei a musiquinha até hoje.

O churrasquinho da Favelinha é meio deprimente. Mas é barato. Pagamos a conta e já estávamos de saída.

- Você viu em 3D? Experiência do caralho.
- Vi, mas não vi.
- Como assim?
- Eu não enxergo desse olho. E esse negócio de 3D só funciona com os dois olhos. Eu não sabia. Aí ficava o cinema todo lá fazendo caras e bocas, curtindo a porra do 3D, e eu que nem um idiota sem entender nada. Depois fingi que também tava vendo, tipo, esquivando assim a cabeça, tentando alcançar os bichos.
- Porra, você não enxerga desse olho.
- Não.
- Nada?
- Nada, caralho.
- Gordo, careca, pobre e cego.
- E pau pequeno também...
- Você tem que se matar, desgraça.
- Já pensei nisso.

Nessa hora, passou devagar pelo estacionamento um careca de moto. Ele deu uma buzinada, jogou um cartão na minha direção, e disse, quero lhe fotografar. Depois acelerou. Peguei o cartão, e estava escrito “Viny Castro. Nu Artístico”. Camaça começou a ri.

- Que viadagem é essa? – eu disse.
- Achou, hein, Bono!
- Só pode ser sacanagem.
- Aí, pode ser a capa de seu livro, porra.
- Vá se fuder.
- Sério. Você nu, mostrando o rabo, com os contos escritos nas costas.
- Eu e sua mãe.
- Porra, é sério.
- Ela de quatro e eu metendo.
- Mostrando esse cofrão. Eu só não ia comprar essa porra.
- Sacana careca.

32 comentários:

Nana disse...

Bono...

Realmente merecíamos férias...

Espero que o Camaça não seja quem eu tô pensando, pq, que conversa de cabeças eim???

guives disse...

vai tomar no cu...
Se tu lançar um livro com vc pelado na capa não vai vender nada man. Porra tu não vai vender nenhum livro assim.

E avatar ee de fuder mesmo.

Caio disse...

porra! os smurfs é q são revolucionários! porra de Avatar!

Fabiano Santana disse...

Gostei dos comentários de seu broder Camaça.

Elga Arantes disse...

e lá estavam todos os 99 irmãos tarados qurendo pegar a Smurfete...

as histórias sempre se repetem. o que mudam são os aparatos...

...e vc tem o aparato pequeno?

vou ter que ver esse filme, não vai ter jeito...

Mwho disse...

Bono,
Genial!
Você decifrou o enigma do Avatar: são smurfs com corpos de Gisele Bünchen e rabos de políticos!!!

Marcos Satoru Kawanami disse...

Bono, vc é irrisório, abaixo de medíocre. Então, por que eu continuo lendo seu blog? Ô mania feia essa!

Davi Caramelo disse...

"Depois fingi que também tava vendo, tipo, esquivando assim a cabeça, tentando alcançar os bichos." Ahahahahahah... O Ápiçe! E com çedilha e tudo do jeito que o gordo gosta!

Jesus disse...

ah helga... lá vem você com esse seu jeito...
eu tava com saudades, helga.

bono, apaga a luz...

Galera da Internet Aracaju Podcast disse...

Tarantino Brasileiro.

Vai pra o cinema porra!!

:>

Rodrigo Carreiro disse...

quero ver entrevista com você no Bahia Meio Dia, porra!

Ana Paula disse...

Hi, my Buk.

Eu ri novamente. Ah, você no bahia meio dia ía ser sensacional, aquela apresentadora idiota e você passando a mão na testa pra não mandar ela tomar no cu.

Love,

Sra. Bono.

Ps. Helga, Jesus está doido pra você se interessar pelo aparato dele.

Emanuele Cordioli disse...

Um cofrao falante.... Claro... que soh diria merda!
Mas eu iria rir muito!

Pablo Araújo disse...

Do caralho Bono.
Smurfs e cacá. Fodas.
Cacá foi o melhor desenho de todos os tempos. E vc nu deve ser altamente incomercial.

tenório disse...

Cara, desculpa ir contra exatamente o que vc citou sobre os comentários aqui, mas: Foda essa sua prosa. Ficção da realidade, é o seu gênero. Sou seu fã, cara. Ah, tu já leu um cara chamado Pedro Juan Gutierrez? Ele é cubano, tem um livro chamado 'trilogia suja de havana' e acho que tem uma coisa ali que vc faz parecido, uma ficção da realidade, uma crônica-romance. acho até que esse gênero não foi bem explorado por aqui e é aí que vc faria toda a diferença. enfim, não precisa acreditar piamente, mas é verdade.

tenório

Wiskow disse...

Já me senti assim, velhão. rsrs
Ah, velho Bono, esse cara, Pedro Juan Gutierrez. Vale ler. Comece por Trilogia Suja de Havana. Acho que vai gostar.

Fabrício Romano disse...

caraio

Paulo Bono disse...

Tenório e caro Wiskow,

Coincidência. Tô correndo atrás da Trilogia. Já está na fila há algum tempo.

Valeu.
e grande abraço

::Soda Cáustica:: disse...

eu acho que papai smurf era pederasta e queria comer os outros coleguinhas smurfs.

cazumbá disse...

estamos soterrados pela mediocridade.o haiti é aqui

Careca disse...

Bono, o lado bom é que o sujeito queria te fotografar e não fazer um piercing.

Rafa Cruz disse...

Avatar é clichê pra cacete mesmo, querem nos fazer engolir ele como um marco pelas questões gráficas, mas o Cameron fez um roteiro tão batido que se parecia com trezentos filmes já criados, como por exemplo O Último Samurai. Revolução gráfica o escambau, eu gosto é de boas histórias. E nem venham dizer que a mensagem ecológica isso, que o não-sei-o-quê aquilo, poxa nenhuma!

E só pra constar, seus textos fazem falta mesmo, mas o cara não deve escrever por obrigação e sim por prazer. Enfim, quando não estiver com vontade, simplesmente não escreva, é um direito seu =D
Já tá linkado no meu blog, qualquer dia eu te encontro em uma partida de poker no Everest Poker Online. hahaha

Mateus Henrique Zanelatti disse...

Cara, vc deu um soco no estômago de nós, os comentaristas mediocres.
.
.
.
Se o Avatar tivesse uma história fudida e não só o visual fudido, imagine só o que ia ser. Até que curti o filme.
Não sou muito chegado no desenho do Smurf.
Mas meu cachorro vira lata chama Smurf.

Não deixe de escrever não, broder!

Abraço!

Daniel Camanzi disse...

Faaala Paulo Bono...
Gostei muito do seu último post. Uma história muito interessante e engraçada. Eu ainda não vi o famigerado Avatar, mas o seu ponto de visto a respeito dos Smurfs é pertinente... Tente enxergar a revolução que Avatar vem alegando, do ponto de vista meramente tecnológico, talvez seja mais fácil de ver a revolução... [risos]
Continue com esse senso de humor e histórias cada vez mais interessantes.
Forte abraço.

P.S. - Confesso que a imagem do seu nú artístico não venderia nada, nem aqueles filmes trashes fetichistas. hahahahahaha !

Bruno disse...

Quando sair o livro, vou providenciar uma sobrecapa de alguma putinha pelada, porque não vai rolar ler no busão um livro com uma capa dessas. Nem eu vou querer uma coisa dessas da minha prateleira.

Nova temporada, demorou!

Fábio disse...

Tem toda razão, não dá para confiar muito em comentário de blog.

A maioria das vezes não é uma questão de ser bom ou ruim, genial ou mediocre. O lance é saber vender. Igual ao "Avatar", a revolução é tecnica, (não se pode negar que o realismo das lágrimas de computação gráfica impressiona) mas venderam como seu o todo fosse revolucionário... mentiras e mais conversa mole da sua turma da propaganda, Mas todo mundo engoliu,Ta aí a maior bilheteria da História para um roteiro e uma história bem abaixo da média.

Sei lá se botar teu rego na capa do livro vai ajudar a vender... Pensa aí, afinal o publicitário é você.

Abraços.

Crônicas Conquistenses disse...

Hilário, o lance da capa e do fotógrafo. Quanto ao estilo de escrita, é isso mesmo. Por falar em Avatar, que merda é essa? Só consegui ver Titanic uns 7 anos depois, até me orgulho disso. Desconfio dessas coisas que surgem como tsunamis midiáticos. Nao vi o filme e demorarei pra vê-lo, porisso nem tenho opinião - faço questão de não tê-la.

Marcelo Mendonça disse...

Vc escreve pra caralho, precisamos marcar pra tomar uma!
abraço mermão!

Anônimo disse...

quer dar pra mim?
o seu talento, claro.
abç

Danilo Souza disse...

Boninho,

acho que você deveria ler Crepúsculo. Tem alguma coisa do seu texto alí. Seu estilo é uma mistura de Crepúsculo com Quem Mecheu no meu Queijo, eu acho.

Macarrão! <- Mas isso não foi você que escreveu!
hehehehehe

Tô só perturbandom, mas essa quantidade de babão nos comments não combina com a acidez da escrita bônica.

abração, cabra!

Lusca disse...

Porra, eu comprava esse seu livro. Apesar da capa.

A viajante disse...

Odiei avatar. E pior que assisti em 3d, me sentindo uma alienada por ter que assistir algo que todos me recomendavam...odeio maquiagem azul, odeio guerra do bem contra o mal, da discussão homem, máquina, mãe natureza....um saco essa mensagem de filmes de ficção...quanto ao 'ser escritor, poeta, sensível..o caralho'só por ter um blog..relaxa...isso aqui deve ser pra vc como é pra mim: uma saída, uma fuga, um lugar no mundo onde a escrita funciona para nos mantermos mais vivos, mais felizes. Fiquei feliz ao ler isso aqui. Bastou.