8.1.09

Delicatessen

A delicatessen ficava bem em frente ao ponto de ônibus. E depois das cinco eles costumavam fazer promoção de croissants. Pague 2 e leve 3. Se você encontrasse algum de salaminho poderia valer a pena.

O lugar era grande. Tinha de tudo. Não sei onde eles arranjavam tantos tipos de pães. Havia também os vinhos. Tão caros que, com certeza, eu nunca haveria de prová-los. Até porque minha ignorância afirma que não valeria a pena. E como toda delicatessen, havia ainda as dondocas. Coroas loiras, pintadas e bem nutridas escolhendo suas geléias importadas enquanto seus motoristas empurravam o carrinho. Tudo os olhos da cara. Aliás, basta qualquer padaria de esquina colocar no letreiro “Delicatessen” que se acha no direito de cobrar um absurdo por uma rosquinha ou qualquer coisa. Tem o nome Delicatessen, e uma porra de uma lata de Nescau, igualzinha a qualquer uma dos supermercados, custa o dobro do preço. Eu me perguntava, que tipo de idiota faz mercado num lugar daqueles? Foi quando encontrei Fabiano Bicudo, um velho amigo dos tempos do segundo grau.

- E aí, Paulo – disse Bicudo.
- Bicudo! Há quanto tempo – eu disse – tem o quê, 10 anos?
- 14 anos.
- 14 anos! Isso mesmo.
- Essa aqui é Fabíola, minha noiva.

Bicudo estava bem. Quem diria. Tinha esse apelido por se parecer com o lobisomem daquele desenho. Sempre foi o mais sacaneado. Tinha sempre uma caricatura dele no quadro negro, o pessoal escondia sua mochila, essas coisas. Lembro até que uma vez jogaram uma cadeira dentro do sanitário enquanto ele dava uma cagada. E agora Bicudo estava bem. Disse que gerenciava uma empresa de informática, e estava com essa Fabíola, que era realmente muito bonita e elegante.

- Que bom que você tá bem, Bicudo!
- Como eu disse, já faz 14 anos, Paulo. Chega de Bicudo. Meu nome é Fabiano.
- Claro, claro.
- Ou você achava que eu seria um otário pra sempre?
- Claro que não, Bicudo, desculpa, Fabiano, é que...
- É que você é como todos os outros que sempre me sacanearam.
- Também não é assim...
- É sim, e quer saber? Você era um dos piores.
- Eu?!
- É, você, sim! Porque você também era sacaneado, gordo e tal, e por isso gostava quando esqueciam de você e vinham pra cima de mim. É isso mesmo. Naquela dia que eu soltei um peido na Educação Física, você foi o primeiro a berrar, “Porra, Bicudo!” pra todo mundo ouvir e me sacanear. E pen.pensa que eu não.não sabia que era vo.vo.você que escrevia aquelas le.legendas quando o Guapo me de.desenhava de travesti no quadro?

Eu já tinha esquecido. Realmente Bicudo gaguejava quando ficava nervoso.

- Vo.vo.você podia ficar na.na sua, Paulo. Mas era um.um. bom filho da puta com.como todos eles. Foi você. Você que.que me.me deixou mo.morrer na primeira ro.rodada da.quela partida de R.P.G! Vo.cê me aceitou jo.jogar no.no.no My Eggs só.só pra você não ser o pior do.do time. E o pior de tu.tudo. To.todo mundo me saca.neava, mas vo.vo.você foi o único que.que me deu um so.soco na cara! UM. SO.SOCO NA CARA! Pensa que eu esqueci? Vo.você era go.gordo, porra! O que é que tinha de me sa.sacanear? Agora sou.sou gerente, cara. Sou.sou, eu tô.tô bem. Tô terminando meu MBA, e vou ter minha pro.própria empresa. E vo.você é o quê? Re.redator? Ainda escreve aquelas bo.bagens? Quanto vo.cê tira no mês? Aqui minha mulher. E vá ver meu.meu carro lá.lá fora. Bicudo morreu!

Acho que foi importante Bicudo desabafar. Eu também tinha vontade de dizer algumas coisas pra uns babacas daquele tempo. O problema é que eu não tenho MBA, nem muita coisa para me gabar. Quanto a meu amigo, bem, olhei seu carrinho de compras, e tinha uma caixa de leite, um pacote de cream-cracker, manteiga, essas coisas. Com certeza, tudo pelo dobro do preço. Então eu disse:

- O que é que eu posso dizer? Foda-se, Bicudo!

Foi aí que a gostosa da Fabíola puxou Bicudo pelo braço, e dois foram pro caixa. Quanto a mim, fui procurar meus croissants. Mas aquele papo com Bicudo me atrasou. Acabou o croissant de salaminho. Sobraram apenas os de ricota e os doces. E como não sou nenhum filho da puta nem menino amarelo pra comer aquele tipo de coisa, deixei o lugar de mãos vazias. Talvez no ponto tivesse um pastelzinho com suco por apenas um real.

27 comentários:

Dayane Abreu disse...

Essas padarias são mesmo um absurdo, Tio Bono.

Ane Brasil disse...

Porra, Bono, cê sacaneava o Bicudo?!
De boa, mermão, esse ambiente de escola consegue despertar o que há de pior em cada um de nós... acredite, não foram os melhores anos da minha vida.
Aí, mermão, acho que ainda dá tempo:
FELIZ 2009, paz, amor, saúde, felicidade, muito dinheiro no bolso, muito mulé boa e muita ceva gelada o ano inteiro procê e pros seus!
é de coração, meu bruxo!

Rodrigo Carreiro disse...

Você é mais roots, porra. E assim tem que ser!

Fernanda Pereira disse...

Porra, sacaneava o Bicudo...cara...eu tbem sacaneava muita gente...ahahah

Mas eu era super sanaeada, e concordo com a Ane, ali em cima, lembranças escolares despertam o pior em mim!!!

Cara eu gosto de croissant de ricota e adoro os doces, nem vem que eu não sou amarela!!!

ahahahah

Mas, será que o Bicudo tem amigos???!!!!

Beiijos

Mwho disse...

Não sei bem o porquê, mas achei que esse Bicudo tem perfil de corno...

Sunflower disse...

Promete que o karma do colégio nunca vai voltar pra mim? Se ele voltar como boomerang, eu estou completamente lascada.

Garota no hall disse...

Nunca tive probelmas no colégio. No ginásio sim. Jogava futebol com os meninos, o que me rendeu alguns apelidos indesejáveis. Bom, melhor estar rodeada de meninos do que de meninas, do ponto de vista feminino. Rá!

Jorge Martins disse...

Bono broca e bicudo é pau no cu.
Foda foi perder o croissant.

Acho um porre gente que acha que a vida se resume a ser gerente de qualquer merda.

Garota no hall disse...

Ah, sobre seu comentário lá no blog: Seinfeld é insuperável. Jerry, George, Elaine e Cosmo FOREVER!

Ric@rdo disse...

Quando o ser humano tá na fase escolar, parece que tem o diabo no corpo. É quase todo mundo escroto, véi! Poorraaa!

Eu nem gosto de croissant.

Abraço.

Careca disse...

Bono, que Bicudo mala! Você tinha que ter ido ver o carro pra mijar na roda ou rabiscar um B no capô! :)

alvarêz drewïzqe disse...

acho que eu poderia passar dias a pão e vinho, porra, como eu gosto dessa combinação. vinhozinho barato mesmo, tinto seco, colonial aqui da região... e pão caseiro com queijo. nossa. isso é bom.

Larissa Santiago disse...

ée... escrotidão com Bicudo.
ele precisava desabafar!

Duas disse...

um abraço o bono eu um bicão no bicudo :)

beijos e delícia de texto.

elisa

Renne Boz disse...

Coitado do Bicudo! rsrsrsrs...
Eu tb ficaria mais afetada porque o de salaminho acabou do que pelo desabafo do Bicudo! rsrsrsrs...

Duas disse...

bicudo, faça como o bono. mande um foda-se e vá em busca do seu croissant de salaminho. indiferença é melhor que status e grana pra superar trauminhas.
abração, val.

Poliana Paiva disse...

As delicatessens estão para as padarias assim como os bistrôs estão pros cafés...
Fiquei até com pena do Bicudo, quanto recalque...
Mas amei o texto, as usual.
;)

gigi disse...

O que é "menino amarelo"?

Adorei o texto, claro. Emocionante. Encaminhei pros Bicudos do meu tempo. Beijocas.

Adri disse...

As pessoas são rancorosas, né? Que mal tem sacanear alguém? Eu era a mais sacaneada na escola, nem morri por isso... Até porque, aos 15 eu fiquei bem gostosa e me vinguei kkkkk É isso. Bj Adri

Nanda Assis disse...

adorei achei sua forma de escrever bem inteligente.

bjosss...

Stephanie disse...

de que adianta o cara ganhar os tubos pra comer em delicatessen e ficar amargando rancores de infância? continua a mesma porra de nerd rejeitado, só que agora, tentando provar ao mundo que pode alguma coisa.

ótimo texto, Bono.

ah, e eu adorei a sinceridade e a concisão do seu último comentário lá no leveza, hahahaha

abraço
=)

Rackel disse...

E ele ainda por cima era gago?!?! Coitado desse tal de Bicudo, heim! rsrs

bjs

jorginho da hora disse...

Se eu fosse bicudo, ia comer um pastel de um real também e afogar as maguas.

Um abraço, meu velho!

Samantha Abreu disse...

ahahahahahaa
como as crianças (mais ainda os meninos) são cruéis na escola. Eu sofri bastante por causa do meu nome.
O legal é isso vira "causo" de mesa de bar e a gente sempre ri um monte. Fóda é que alguns ficam com sequelas e... aí... desabafam aos gaguejos na padaria chique!
ahahahahahahaa

Um beijo, Bono!

Fábio Souza disse...

Zorra bicho!!!!

Cê devia era ter dado outro soco na cara dele, afinal de contas fudido é fudido e meio.

Abração Pri.Pri.Primo

4rthur disse...

foda é ver que tu até entendeu a situação do cara, a necessidade de botar pra fora. mas quer saber? foda-se, bicudo!

Cara de 30 disse...

Cara, muito bom o teu blog. Muito bons os teus textos. Vou linkar logo pra acompanhar de agora em diante.

Resolvi comentar neste post especificamente pela coincidência de já ter escrito sobre um destes encontros pós-segundo-grau.

Se tiver um tempinho, dá uma olhada em http://umcarade30.blogspot.com/2008/11/as-voltas-que-o-mundo-d.html.

Abraço!