25.6.08

Numa Sala de Reboco

Foi numa cidadezinha do interior da Bahia. Fazia frio. Muito frio. Mas fazia frio lá fora. Porque naquela garagem onde improvisaram um salão o forró pegava fogo. E de repente a sanfona puxou Numa Sala de Reboco. Minha favorita. Sou gordo e tímido, não costumo chamar ninguém para dançar. Mas o Rei do Baião e algumas doses de licor de jenipapo fazem milagres. Ataquei a moreninha de vestido florido que assistia ao forró quietinha.

- Vamos?
- Eu não sei dançar.
- Dois pra lá, dois pra cá.
- Desculpa. Eu não sei.

A minha auto-estima que é menor que um amendoim impediu que eu insistisse. Então fiquei apenas batendo o pé e assistindo ao povo dançar, exatamente como alguns tabaréus feiosos que havia por ali e que não comiam ninguém.

Ainda assim a festa era agradável. Era um São João de verdade. Bem diferente de alguns que tem por aí nessas cidades maiores. Certa vez eu estava numa dessas. Havia um palco grande no meio da praça. E havia uma dessas bandas famosas, Calcinha daquilo ou Jabá com-não-sei-o-quê. A banda ficava lá tocando qualquer porcaria e umas putinhas com as calcinhas enfiadas nos rabos dançavam parecendo mais Chacretes na abertura do Fantástico. E o povo todo parado. Ninguém dançava. Só assistia. Um porre.

Mas naquela garagem não. Estava gostoso. E tocava Numa Sala de Reboco. Ao invés de “gente bonita”, como dizem que há nas grandes festas, havia gente de verdade, caipiras de verdade. Todo mundo arrastando o pé. Um roça-roça da porra. Havia um casal que não parava um minuto. Os dois baixinhos. Dançavam acelerados, muito à frente do ritmo da música. Dançavam encaixados. E de rostos colados. Acho que podiam soltar uma bomba de mil ali dentro, que eles não iriam se desgrudar. Com certeza, depois daquele forró, quando voltassem para a roça, iriam fazer outro filho. Aquilo explicava porque o São João é uma puta festa romântica.

Os tocadores eram uns tipos engraçados. O sanfoneiro mandava bem e mancava de uma perna. O velho da zabumba não tinha os dentes da frente. E o rapazinho do triângulo, bem, não sei nem o que falar do rapazinho do triângulo. O que tem para falar de alguém que toca triângulo? Eu estava observando. Dinheiro fácil do caralho. Acho que a maior injustiça desse universo é um tocador de triângulo ganhar o mesmo que o resto do grupo. Aquele sacana bebia mais licor do que tocava. Mas o que tinha para tocar? Era tinguinlinguinlim e licor para dentro, tinguinlinguinlim e licor para dentro. Enquanto o sanfoneiro e o zambumbeiro se fudiam com seus instrumentos infinitamente mais pesados. E volta e meia aquele filho da puta ainda olhava o repertório colado no chão, como se fizesse alguma diferença a música que viria a seguir. Aposto que ele tirava onda para cima das menininhas, “Sou músico, toco numa banda”. Mas duvido que dissesse que tocava triangulo. Cara-de-pau.

A verdade é que São João me traz boas lembranças. Sempre gostei da festa. Já fui bom nisso. Muito bom. Nos tempos de escola, eu sempre participava das quadrilhas juninas. E não é por nada não, mas eu era o melhor naquela parte que tinha que imitar um bêbado cabaleando enquanto a mocinha adulava. Lembro também que imitei o Sandro Becker na quarta série. Minha calça era cheia de retalhos, inclusive com um coração costurado no meio da bunda. E até hoje tenho uma foto de quando fui eleito o Rei da Laranja no jardim de infância. Se bem que nessa foto estou chorando porque não queria ficar grudado à Rainha do Milho. Mas aí o tempo passou, veio a barriga, veio a careca, e nunca mais ouvi Sandro Becker. Inclusive a menina que foi a Rainha do Milho ainda mora no bairro, tem pernas maravilhosas, mas nem sabe que existo. Hoje nem a moreninha de vestido florido quer dançar comigo. Hoje fico apenas batendo o pé.

E foi logo quando Numa Sala de Reboco chegou ao fim, que meu amigo Joe se aproximou. Joe era tão feio quanto eu e também não pegava ninguém. E ainda tinha um agravante. Joe tinha cara de tabaréu, e quando dizia seu nome verdadeiro, Joílson, aí é que as meninas achavam que ele era da região e não queriam nada com ele.

- E aí, Joe, pegou alguém?
- Tentei uma sararazinha ali, mas a peste não queria nada.
- Na boa, você imagina alguém pedindo um triângulo de presente de natal?
- O quê?
- Esquece. E se a gente fosse no brega?
- Esquece. Hoje dei carona à Paty na moto. Quando cheguei em casa bati uma.
- Porra. Bateu uma punheta e não come mais ninguém hoje?
- Esquece. Vamo pegar licor.
- Tô enjoado de jenipapo. Pega maracujá agora.

E quando nos afastamos para comprar mais uma garrafinha de licor, o sanfoneiro puxou outra. E para minha surpresa, quando olhei, a moreninha de vestido florido dançava com um bonitão. E dançava muito. Chegava a saia girar. Putinha faceira. Mas ela estava perdoada. Porque estava tocando aquela, Olha pro Céu, outra bacana do Rei do Baião.

50 comentários:

Anônimo disse...

Na verdade Bono ... o que conta mesmo é uma boa abordagem, a tal insistência tbm ajuda.
Já vi muito bonitão levar "toco"
risos
beijos

"Belezas e Encrencas" por um Assessor de Imprensa disse...

Putinha mesmo...

Larissa Bohnenberger disse...

Ahahahahahahahahah!
Como me divirto com essas histórias!
Rsss!
Bjs!

Paulo Bono disse...

Anônima,
tática de abordagem e insistência não fazem milagres. acredite.

Assessor,
São todas umas putinhas.

Larissa,
Que bom que você gosta.

abração

FOXX disse...

ai ai
eu tenho é que voltar pra minha terra

Rodrigo Carreiro disse...

Bono, esse SJ eu fiquei por aqui mesmo, mas me deu uma puta vontade de me embrenhar nuns forrós e bregas do interior. Nada melhor. Não existe forró melhor que numa cidadezinha xula e nem puteiro melhor. É lindo.

Mwho disse...

Bono,
Seus textos são demais!
Não só o estilo é excelente, mas eles trazem emoção pura!
Lembrei de coisas antigas e até escrevi um texto no meu blog: "E eu nem imaginava!".
Um abraço,

Paulo Bono disse...

Foxx,
"quem vai pro interior vai buscar o interior".

Carreiro,
Esse SJ também passei na capital.
mas tenho certeza que um contador de histórias tão baiano como você conhece bem o forró-bodó de uma cidadezinha xula.

Mwho,
Valeu a visita, rapaz.
Emoção? cacete! até eu fiquei emocionado agora. sério.

abração

Marcelo Mendonça disse...

pra mim a culpa é de JOEtromundo.
Muito massa o texto junino. grande abraço mermão.

Duas disse...

que delícia, adoro São João.

a primeira vez que beijei na boca estava com vestidinho de caipira e trança no cabelo.

e viva o forró honesto e democrático. bem mais simples e gostoso do que dançar tango.

texto bom que nem quentão. beijos.

elisa

Breno Barretto disse...

Bonera, tenho que lhe dizer que essa historia de tocar triangulo funciona. Já montei uma bandinha improvisada num interiorzinho desse, tocava todas as musicas na mesma levada e as putinhas acreditavam mesmo que eu era musico e ainda da capital.hehehe.
Ficou muito mais facil o restante da festa...
Vou te dar um triangulo de presente de Natal!!
Abração meu querido!!

Paulo Bono disse...

Mendonça,
Joe é um cara bacana da zorra.

Elisa,
São João, quentão, trança, beijo na boca, gostoso, sei...já vi que você era danadinha.

Breno Imperador,
Que funciona, isso eu não tenho dúvida. Mas que todo tocador de triângulo é cara de pau isso é, seu cara de pau safado.

abraço

Rafael Abreu disse...

Putz... nunca vivi nada assim num são joão.. minhas maiores putices acontecem no carnaval... acho q pq essas festas aki em sp naum tem tanta importancia... keria muito ir pra um lugar assim!

Rafael Abreu disse...

Vou vir sempre aqui.. jah tah no meu blogroll.. abraços cara... vc escreve mto bem!

Poliana Paiva disse...

rei da laranja, hein...
rs

Sunflower disse...

Fui rainha do milho, miss caipira e boneca de cheiro. Não sei como é a hierarquia das festas juninas.

Não sei dançar forró, nao sei dançar a dois, talvez, se eu leva. Só sei dançar carimbó, rodando e rodando sozinha dançando até o chão.

Beijo, Acerola.

Anônimo disse...

Não adianta chiar. Forró pé-de-serra sem triângulo é namoro sem beijo, é trepada sem gozar. Na simplicidade do ruido do metal é que vc ficou ali, marcando o compasso com os pés. Triângulo, sanfona e zabumba. Um depende do outro como três bebados tentando chegar em casa...abraço.

Paulo Bono disse...

Rafael,
Valeu a visita. Por aqui a putaria tambem corre solta no carnaval.

Poliana,
Isso mesmo. Tinha uma faixa e tudo.

Sunflower,
Na verdade nao danço porra nenhuma.

Anonimo,
E seu comentario parece ficou parecendo letra de aaxe music.
Claro, o triangulo faz parte da parada. so acho o tocador devia receber apenas um vale transporte.

abraço

Adriano Caroso disse...

Bono vc é foda. Eu passei o São João numa cidadezinha dessas e fui num forró segunda bem parecido com o que vc descreve. Eu também me considero feio, sou tímido e não sei dançar porra nenhuma muito menos forró. Sempre fiquei parado nos forrós, batendo pé, enchendo a cara de licor e morrendo de inveja dos caras que pegam as gostosas e saem dançando pelo salão. Este ano não foi assim. Estava com minha namorada do lado que é uma mulher linda(e de muito mau gosto por sinal, não sei que porra ela viu em mim), que ficou reclamando porque eu não queria dançar. Ainda bem que sei fazer outras coisas e aí ela parou de reclamar.
Quanto ao cara do triângulo pega mais leve, só um vale transporte? Que sacanagem! Vá se fuder né cara! Meio cachê, certo? Pra variar, seu texto é muito bom, assim como todas as músicas do Gonzagão! Abração irmão!

Fábio Souza disse...

Rapaz eu faço côro com você principalmente em relação ao cara do triângulo, mesmo sabendo que é indispensável no pé-de-serra, e ainda acho mais ele tinha que "PAGAR" para estar ao lado do sanfoneiro e do zabumbeiro.
Brincadeiras a parte, lendo este texto me recordo de alguns forro-bodós em sala de reboco que participei, e realmente são uma delícia, principalmente se for no interior do estado. Porém não tem coisa que me deixe mais puto da vida do que quando tem um "putinha" dessas (não se pode dar outro nome) no meio do salão com a maior cara de "cachorro na frente do açougue" implorando para se convidada para dançar e no momento em que um ser humano desprovido de beleza externa como nós se enche de coragem e vai convidá-la recebe um não como resposta, poxa meu irmão ai é dose para leão. (1º lugar) tô chamando pra dançar e não pra namorar, (2º lugar) se não quer dançar então SENTA PUTINHA!

Abração Primo

alvarêz dewïzqe disse...

Olha isso que divertido
http://deamaris.blogspot.com/

Alvarêz

Paulo Bono disse...

Caroso,
tb não danço porra nenhuma. arrisco um dois pra lá, dois pra cá, meio capenga. e a verdade é que no fim das contas homem não precisa saber dançar

Fabão,
"ENTÃO SENTA, PUTINHA!". Esse agora vai ser o lema dos cabras feios que não conseguem tirar ninguém pra dançar.

Alvarêz,
Divertido é sim. Mas um tema apenas o tempo todo é dose. Prefiro a variação que você faz nos seus textos, cumpadi.

abração

Adriano Caroso disse...

Anota essa aí! Eu fui o visitante 22.000. Que honra!

Filipe Garcia disse...

Cara, muito boa sua crônica. Seu senso de humor e sua ironia me arrancam risos o tempo todo.

Abraço.

Larissa disse...

ah puta!!
o negócio é insistir ;)

Grande Lua Branca disse...

D-e-l-i-c-i-o-s-a sua forma de escrever.

Que bom encontrar algo assim de vez em quando neste vasto universo virtual tolo e ilusório.

bjins.


...

Tatiana disse...

Adoro seus txt's!
Bjos!

Paulo Bono disse...

Caroso,
Não sei se é grande coisa assim, mas parabéns, meu velho.

Garcia,
Valeu!

Larissa,
Senti que você ficou indignada de verdade.

Grande Lua Branca,
Valeu a visita. Bom que gostou.

Tatiana,
Valeu, essa menina.

abração

Polêmica disse...

o teu blog é um dos mais, legais e interessantes que já vi...parabéns!!!

Careca disse...

Bono, pô, eu juro que pensei que eu tinha deixado um comentário aqui! Quando li mais essa pérola eu fiz um dos melhores elogios que eu jamais consegui fazer para um ser humano! Mas alguma coisa enguiçou... Bom, achei muitcho bom! Grande abraço,

Joe (Joilson) disse...

Sou o Joe da História. Vim aqui dizer que é tudo mentira. Hehehe, bons tempos aqueles em Bono. Sempre lembro desse são joão todo ano.
Ainda lembro de uma frase sua sobre o São João, algo assim: "São João é uma festa saudosa, sentimos saudades não se sabe de que".
Que dure pra sempre o São João do interior.

Paulo Bono disse...

polêmica,
leia outros.

Careca,
só em você dizer que achou bom tá valendo.

Grande Joe,
Você é o cara. Aquele São João foi muito bom mesmo. Ainda teve o palitinho a licor, lembra?

abração

Joe disse...

Já tinha esquecido do palitinho com licor, aliás, eu tenho um trauma de palitinho e licor. Deve ser por isso que eu esquecei. hehe.

4rthur disse...

tem umas quebradas no triânmgulo que são difíceis de fazer. Mas é foda mesmo o cara com um instrumento de 200 gramas tirar onda. Nas bandas de orck é sempre assim: vai o vocalista sorrindso na frente, no máximo com um mic na mão, e os feladaputa dos guitarristas e baixistas com seus instrumentos e amplificadores pesados da porra. E quando o batera tem que carregar o bumbo, aí é que esse se fode mesmo.

apareça mais, cabra!

Abração.

4rthur disse...

duzentos erros de digitação... vinho no almoço sempre bagunça a gente.

Mwho disse...

Bono,
Escrevi uma historinha no meu blog mostrando que a minha idiotice começou na infância e não na adolescência...
Se puder, dê uma olhadinha:
http://esfarelando.blogspot.com/2008/06/
banho-quente.html
Abraço,

Paulo Bono disse...

arthur,
venha com essa não, meu velho. triângulo eu toco até com a esquerda.

mwho,
vou dar um saque.
valeu a visita.

abraço

Rackel disse...

Po... dá um desconto pro triangulo, vai!

Aí, já q vc diz q toca isso até com a esquerda, pq num se junta a uma banda de forró?!? Assim vc deixa d ficar de lado só batendo o pé na festa pra tirar onda com as menininhas inocentes nas festas juninas da cidade!

hehehee

bj, bono

Theo Limeira disse...

Da um maracujá pra putinha se acalmar.

Paulo Bono disse...

Rackel,
Não é que já me chamaram pra tocar numa banda de forró? Mas era um pseudo-forró, sacou? e nem que eu virasse um forró-star pegaria alguém.

Limeira,
Nem fale, licor de maracujá é do caralho.

abração

Marcus disse...

Pra variar, texto do caralho. Mas faltou a foto do rei da laranja. Quanto ao papel de cada um nesta vida, pior são os caras que ficam lá no fundo da orquestra com os pratos na mão o tempo inteiro sem fazer nada e só entra em ação laaaá no final, como do bolero de ravel.
Agora uma perguntinha infame pra você: numa criação de um comercial, quem é o sanfoneiro, quem é o triângulo e quem é a zabumba?

P.R. disse...

minha auto-estima também é menor que um amendoim. vou espalhar a expressao pela mundo!

Paulo Bono disse...

Marcus,
não tinha lembrado do cara dos pratos. bom filho da puta também.
quanto a sua questão infame, rapaaaz, os papéis variam muito. e não estou sendo político.

p.r,
e olha que a frase não tinha nenhuma pretensão.

abração

gigi disse...

vc é muito foda.

SAMANTHA ABREU disse...

hahahahahaaha
como é delicioso ler isso.

e sabe que me veio uma enorme festa na cabeça. Enorme no sentido semântico, que hoje em dia chamamos: "massa pra caralho".

Nada como festa com "gente" que se diverte com pouco... assim, qquer festa é boa demais!
Um beijo.

Marina disse...

Joílson é tranquilo... pior é Joércio!!! O cara se recusava a ser chamado até mesmo por "Jo"... só era conhecido pelo sobrenome.

Caro Bono, eu tambem sou gordinha e durante muitos anos da minha vida tive uma auto-estima como a sua. Mas adoro dancar... só que sou exigente: antes de aceitar um convite, me certifico que o cara sabe dancar BEM... porque modéstia às favas, eu danco pra baralho! E nao gosto de dancar com um perna-de-pau!

josue mendonca disse...

to me acabando de rir!
sempre me perguntei também o que se tem pra falar sobre alguém que toca triângulo???
muito bom

Guto Amorim disse...

"Numa sala de reboco" é mt foda.
Não tem melhor.

Fernanda Pereira disse...

Bono, o que você está fazendo agora??

Dança essa comigo?

rs

bjs

Anônimo disse...

Bono vc escreve mto bem e isso vc já sabe pq tive não só a honra de te conhecer como também trabalhar com vc e com isso pude te falar pessoalmente.
Mas sem babação pq isso é foda, meuuu, preciso comentar esse texto, como é q vc pode falar q o cara do triângulo não merece tanto destaque? Vc sabe tocar um triângulo? Eu pelo menos não sei, parece fácil aquela coisinha, mas é complicado, tem a parada dos dedos...enfim...
Mas o texto é engraçado, eu estava lendo no núcleo, me acabando de rir e a galera da produção q estava trabalhando viu e disse: "vc está lendo o blog do bono?"

Tatiana Carvalho