23.4.08

10 Anos

O dia está lento. E não é domingo. Nem um futebolzinho na TV. Nada que me faça parar de pensar. Tem até um livro ali no canto. Mas já desisti dele. Não passo da página 23. Já li a página 23 umas sete vezes. Não adianta. Hoje eu podia ficar parado. Olhando a parede. Olhando a parede o dia todo. Mas resolvo sentar no computador, tentar escrever um daqueles contos. Não sai nada. Só um parágrafo muito parecido com a página 23 daquele livro. Eu sou uma farsa. Vou ao banheiro e dou uma cagada. Passo um tempo ali sentado me olhando no espelho. Cara, como eu sou feio. Dias assim me deixam gordo e careca. Penso em tomar um banho. Já é alguma coisa. Ficar embaixo do chuveiro, cantar baixinho, bater uma punheta. Yeah. Mas o chuveiro está quebrado. Não tem água quente. Acho que nunca tive um chuveiro decente. Com água quente de verdade, que fica aquela fumacinha. Como nos hotéis bacanas. Lá fora, a vizinha toca um pagode qualquer. O dia fica completo. Dias assim envelheço uns 10 anos. Muito tempo. São duas Copas do Mundo. Prefiro até achar que é muito tempo mesmo. Quando penso que é pouco fico deprimido. Lembro onde eu estava há 10 anos atrás. Saía da faculdade, achava que ganharia o Profissionais do Ano, participava de rodinhas de violão. Como se fosse ontem. Mas foi há 10 anos. E se eu for um pouco mais longe? Voltar mais 10 anos. Eu via pela primeira vez o Flamengo ser campeão brasileiro e ganhava meu primeiro campeonato de botão na Lapinha. Dias como o de hoje são longos, mas 10 anos passam rápido. Se penso nesse tempinho de merda à frente, terei 40. E antigamente eu chamava quem tinha 40 de coroa. Ou seja, mais alguns míseros 10 anos, só mais duas Copas do Mundo, e eu serei um coroa. Mais gordo e mais careca. Dias assim me faz pensar cada bobagem. Eu queria ser igual a Aninha, minha irmã. Gostar de axé e ser alegre o tempo todo. E ainda falta mais de uma hora para começar a reprise do Seinfeld. O pior que são em dias como o de hoje que chegam as perguntas mais difíceis. Logo hoje minha mãe sentou do meu lado e fez a pergunta que há 10 anos eu temo, mas sabia que um dia ia chegar. “Paulo, meu filho, o que aconteceu com você?”. Eu não tinha resposta. “Tá com medo de ter que pagar meu Nescau a vida toda, né Maroca?”. Respondi assim e sorri. Só para ela sorrir também. E para o dia ter alguma graça. Foda é que daqui a 10 anos vou continuar sendo eu mesmo. O mesmo de 10, 20 anos atrás. Pior ainda, o mesmo de hoje. Dá um medo da porra. O problema é saber que a minha vida depende de mim. Aí então que estou fudido. Porque eu não sei consertar nem um chuveiro.

40 comentários:

Adriano Caroso disse...

Cara, às vezes me sinto exatamente deste jeito, como uma merda, como se tivesse deixado o tempo passar em vão. Mas, se a gente olhar pra trás, verá que nos dez anos passados, sempre fizemos algo de útil e podemos fazer muito mais nos dez anos que virão. Não pode é deixar a peteca cair. Nunca é tarde para começar, seja o que for. Você pode ser tudo, menos uma farsa. Você é bom pra caralho.
Escrevi outro conto no blog. Tenho vontade de parar de escrevê-los. Sempre acho depois, que o texto é influência sua e fico puto! Mas, eu escrevia antes de te conhecer então tenho que continuar. Pelo menos é uma boa influência. Se chama O SIGNIFICADO DOS SONHOS. Confira!

Abraços

Careca disse...

Paulo Bono,
se você não escrever, você será uma farsa. Pagar o Nescau com a pena é difícil pacas. Mas tem um bando de mané que consegue. Então, acho bom continuar tentando. Antes que um mané aventureiro lance mão...

FOXX disse...

hehehe
eu acho q qndo a vida da gente depende apenas da gente é mais facil conseguirmos dar um jeito nela, afinal se vc naum sabe consertar o chuveiro, naum foi vc quem o quebrou? ou foi?

P.R. disse...

se serve de consolo, eu tambem sou uma farsa.

Sra. Bono disse...

Paulo Bukowskiano da primeira a última palavra.

O bom é saber que daqui há 10 anos você vai continuar sendo você mesmo rapaz! Melhor que isso, só a feliz certeza de saber que a sua vida depende de você.

Quando os seus textos forem cada dia melhores, como têm sido, e você se sentir feliz e satisfeito com isso... Quando você ratificar a sua personalidade ao londo dos anos e sentir orgulho de ser quem é... Quando você sacar que não poder pagar o Nescau naquele momento foi o de menos e não ver culpa nisso... Com certeza, daqui há 10 anos você vai se olhar no espelho e saberá o quão maravilhoso é sua vida depender de você.

Muito lindo seu texto, Paulo Buk!

Com um imenso amor,

Sra. Bono.

Anônimo disse...

Bonera, tenho que admitir que por alguns instantes achei que estava lendo um texto sobre minha vida (claro! tirando a parte do Flamengo.hehehe)
Mas faço das palavras do Adriano, as minhas. Se você parar e olhar pra trás verá que construiu muitas coisas boas, não falo só dos seus textos (que são brilhantes!), mas também das amizades que se formaram nesse periodo e que com certeza te trouxeram momentos de alegria.
A vida é isso mesmo, a busca pela felicidade é infinita!
Forte abraço, grande amigo!
Breno Barretto

4rthur disse...

Como já disse (e quase iniciei uma campanha) que tu é foda, não vou me deixar levar pelo sentimentalismo barato e derramar alguma filosofia tirada de livro de auto-ajuda pra te fazer sentir melhor. Auto-ajuda mesmo é uma boa punheta, e isso vc sabe muito bem. Pena que a porra do chuveiro esteja quebrado.

Mas garanto que, se tivesse uma buceta amiga ao lado, vc não teria sido invadido por estas questões meta-existenciais. Ou se, ao invés da reprise do Seinfeld (que eu me amarro), tu tivesse assitido o Mengão ganhar de dois a zero do Coronel Bolognese, com direito a gol de falta do goleirão Bruno, garantindo o primeiro lugar do grupo na Libertadores. Salve Jorge!

NaoImporta disse...

Veja o que é um dia sem Flamengo, sem buceta, sem chuveiro, sem nescau, sem mamãe, sem o hulk, sem Lapinha... Daqui a 10 anos serão mais duas copas, talvez mais estrelas na camisa da seleção ou novas decepções. Não importa. Crises são saltos monumentais para transformar vidas ou se atirar do 12 andar... A propósito. Em que andar você mora?

Renato Alt disse...

Hahaha... "o problema é saber que minha vida depende de mim". Espetacular.
Parabéns pelo blog. É muito bom encontrar conteúdo na internet.
Abraços.

Duas disse...

meu chuveiro também tá quebrado. e tenho um monte de coisas estragadas em mim...

bom texto. triste e lindo e bom de novo.

elisa

Rodrigo Carreiro disse...

É nessas horas que precisamos de Flavinha e sua buceta amiga!
abraço

Poliana Paiva disse...

pior que mãe pagando nescau é mãe pagando cerveja, motel e camisinha.

arrasou esse texto!
abraço,

Tuca Hernandes disse...

A minha mãe, no máximo, me paga um genérico do Nescau, puta da vida ao ver que continuo longe de poder comprar aquele anel de diamantes que, na infância, prometi dar pra ela, quando eu tivesse a idade de hoje. Ou melhor, cinco anos antes de hoje.

Bem, voltemos aos classificados de emprego.

Tatiara Costa ; ) disse...

Hahahahaha...é foda o tempo voaaaaa, passa muito rápido e nos vemos sempre os mesmos, mas sabe o que é? Somos sempre nós oras! Mas basta observar que muita coisa mudou.Caracas! Mas a verdade é que muitas coisas ficam paradas mesmo.
Merda! Viu! Fazer o que?
Só se eu ganhar na mega.Sacô! O pior é que 10 anos atrás eu não tentei a sorte e certamente daqui 10 anos também não tentarei!
Vixe!

Priscila Milanez disse...

É..."dá um medo da porra", mesmo pensar que somos sempre versões inacabadas de nós mesmos...
Belo texto.

Sunflower disse...

Tem dias que eu envelheço cem anos, e eles são muitos. sou tão velha, mas tão velha que estou encolhendo. Enquanto você está gordo e careca, calço 36, mas já foi 37. Visto P onde já foi M.

Acho que estou em processo de desapaecimento. Um medo que eu tenho desde pequena, mas também, das coisas que não mudam, estão meus olhos curiosos, e as minhas mães ágeis e táteis.

Espero que no dia que eu desapareça, não seja por completo, seja que nem o gato da Alice e que sobrem meus olhos, minhas mãos e meu sorriso.

Ah, os três estavam aqui ao ler teu texto.

SAMANTHA ABREU disse...

Cara, Paulo Bono!
Escreve um livro, cara!

ps: não que isso vá ajudar muito, mas... pensa:
se não vais ter filho, deixa um livro.
E teus textos são bons demais, meu!
Até com melancolia eu consigo soltar uma risadinha!

Um beijO!

Filipe Garcia disse...

Cara, muito bons seus textos. A dose de realismo e a sua forma de colocar as palavras são fantásticas.

Abraços, voltarei outras vezes.

Rackel disse...

Acho q vc deveria aceitar o conselho da samanta ali em cima... se até as porcarias do paulo coelho renderam uns bons trocados pro cara, tenho certeza q vc tb terá seu espaço - e os miguelitos merecidos, claro!!!

bjs e bom FDS

Ivan Dmitri disse...

Eu acho que este papo carente é uma armadilha pra atrair mais uma bucetinha amiga. Só quem não te conhece é que te compra .... Bunda na parede garotas.
Falando sério agora, você escreve sobre você mesmo o que quase ninguém tem coragem ou competência.
Vá fundo rapaz! Vou fazer campanha por este primeiro livro. Com Nescau no lançamento.

frenesi disse...

"os dias roem nossas vidas sem alarde"
Belo e triste texto, que me levou a refletir sobre mim.

juniupaulo disse...

Gostei tb.
É triste. Faz a gente pensar.
Dá medo mesmo. Mas eu tomo isotretinoína contra a calvície (aquele do Romário). Ainda não deu resultado. Tem q esperar um ano.

Se vc começar logo, pode fazer o lançamento do livro com mais cabelo. Hã? E aí?

Larissa Bohnenberger disse...

Texto incrível! E esses dias, tão longos perto da rapidez dos anos que se passaram, tornam-se cada vez mais comuns na medida que a gente envelhece, rsss. Enfim, sou solidária. Já tive momentos assim. Mas pelo menos sempre pude tomar um banho quente para lavar a aula... é, acho que a tua situação é pior mesmo. Rssss!
Adorei!
Bjs!

Guto Amorim disse...

Chuveiro frio é foda. Só presta quando o dia é bem quente, e caixa d'água, no sol, deixa a água só fria, não gelada.

No outro texto, achei Buceta um termo agressivo, mas desisti de achar outro. Punheta também é. Mas, previamente já desisto de achar outro tão sincero.

abraço

Rackel disse...

Me manda seu e-mail q te passo os codgs q achei na net.

rackeldpj@hotmail.com

bjs

juniupaulo disse...

Corrigindo: pra calvície o remédio é 'Finasterida' (o do Romário tb). 'Isotretinoína' é pra espinhas.
Certo. Eu tenho espinhas e entradas cada vez maiores.
Se sente melhor agora?

Denis Barbosa Cacique disse...

Desencana, careca, eu tbem não sei consertar o chuveiro. Dá pra viver sem saber isso. Mas punheta com água fria num vira mesmo. O que tbem num vira é sua mãe ter q pagar seu nescau. Isso é foda.
Abraços
Denis

Mantraman disse...

caro paulo,
diga à sua mãe : aconteceu que eu me tornei um puta escritor e não tenho dinheiro para pagar o meu nescau.

grande texto!

Danilo Lemos disse...

Bonito, rapaz. Faz um tempo que eu não te leio. Tava de férias prolongadas. Parece que faz 10 anos que eu não venho aqui.

Abração!

Joana Rizério disse...

muitas vezes eu também me sinto um chuveiro quebrado! ou um chuveiro que nunca foi quente de verdade. engraçado, que hoje eu li O velho e o mar, um livro lindo, que faz a gente pensar certas verdades sobre o que significa nossa pobre vidinha, nossas carreiras, nossas coisas, essas coisas. pelo menos me fez pensar. e eu acho que ser um velho pescador solitário às vezes é tudo o que uma pessoa pode querer, sem as ganas malditas e a busca desembestada pela felicidade plena de novela a qualquer custo, que quase sempre assalta a gente. então vamo viver tranquilo, fazer o melhor que for capaz, só pra viver em paz, né? beijo

Aninha disse...

Sabe o que me faz ser feliz o tempo todo? conviver com pessoas como você.
e pensar em 10 anos atrás faz lembrar vc lá dançando valsa comigo (sem querer mais foi)e pensar em daqui a 10 anos fico imaginando ir a sua casa perguntando o que tem de bom para comer.
Ah! quanto ao chuveiro é um trauma nosso. rs
beijos te amo.

Adriano Caroso disse...

Paulo,

Coloquei recentemente no meu blog um quadro do DEEZER com 40 músicas mas não senti nenhuma alteração. Ninguém até agora havia reclamado. Será que não é alguma instabilidade momentânea na sua conexão? Vou verificar por aqui. Muito obrigado pelo toque. Um grande abraço meu velho!

Fabio Souza disse...

Primo a verdade é que com já dizia o poeta "O tempo não para" esta é uma verdade incontestável, e como diz meu velho pai "O que não tem remédio, remediado está". Então te pergunto "para quê esquentar o ... com rola fina"? bola pra frente bicho.
Mas é verdade também que de vez enquando como se diz aqui na Bahia "dá 5:00hs mas não da 4:00hs" e ai eu discordo do poeta que citei acima e eu diria "O tempo não PASSA" é foda mesmo. Acredito que o melhor a fazer em uma hora dessas é ouvir uma musiquinha, tomar uma, deitar e dormir! falou.

Abração Primo

disse...

Gostei daqui. Voltarei...
Beijos.

Genérica Paraguaia disse...

Toma uma cerveja num boteco bem feio, olha o povo que mal tem o q comer se divertindo (e quebrando no pagode até o chão), e desopila!!

gigi disse...

postei.

SAMANTHA ABREU disse...

quero maisssss
quero, quero,quero.

voltei a 2 vezes 10 anos atrás.
e tô fazendo birra.

ribeiro_patricia disse...

Atire a primeira pedra quem nunca passou por um dia como esse... sua descrição foi perfeita, deu o clima certinho, domingo com reprise de seriado é o auge, melhor ainda só se não tivesse tv a cabo e seinfield virasse faustão!

Srta. Rosa disse...

Bolinho de queijo... nada como a ignorância e a fome da primeira vez, hehe. Gostei daqui. I'll be back.

Bezzos,

Mi Lemos disse...

Bem, esse texto resume o que é a vida!