13.3.08

A Batalha de Benigni

Difícil dizer como e quando essas coisas começam. Quem invadiu a fronteira de quem primeiro. A gente nunca lembra. Principalmente quando somos nós os culpados. Memorizamos apenas algumas feridas. Para ter motivo de armar um contra-ataque. Ainda que esse contra-ataque só venha dias, meses, anos depois. A tática é atirar. Mesmo sem vontade. Mesmo sem saber. Afinal, quem é o diabo do inimigo? Não sei. Sou apenas um recruta de merda. E mesmo cansado, não deixei nem a poeira baixar. Mal apareceram os créditos, disparei o primeiro golpe.

- Uma merda.
- Eu gostei – disse Nina.
- Uma merda – eu disse –, chato pra caralho.
- Como você pode dizer isso? Você dormiu no meio do filme.
- Claro! Filme chato da porra.
- Só porque foi eu que aluguei.
- Não começa.
- Só você aluga filme bom. Você é o porreta. Como você mesmo diz, você é "foda".
- Vai chorar porque eu não gostei da porra de um filme que você alugou?
- Não se preocupe, não vou chorar. Mas você só gosta do que vem de você. Só seus amigos são legais. A gente tem que ir a todas as festas de seus amigos, porque “vai ser legal, é todo mundo gente boa!”. Só os filmes que você pega são “do caralho!”.
- Qual foi a festa que você não gostou?
- Não me chame mais pra nada na casa do Sardinha!
- Ok, eu não chamo. Mas eu vou.
- Eu chamo pra ir no caruru de Lore, “Não posso, tenho um freela pra fazer!”. Agora, eu tenho que ir no aniversário do Sardinha, ver um monte de homem jogando dominó, falando de futebol, e mulher falando de Big Brother!
- Todo mundo lá gosta de você. Ao contrário de suas amigas, que me detestam. Essa Lore já disse que eu não acrescento nada em sua vida. Não vou mesmo na casa dessa puta mal fudida!
- Não fale assim dela.
- Eu gostei daquele, dos fanáticos suicidas. Você que pegou.
- Paradise Now.
- O nome é idiota. Mas eu gostei. Mas esse, achei uma merda.
- Teve uma cena, que ele conversava com ela, quando ela tava em coma. Você ia gostar.
- Já sei. Ele ficou falando a poesia dele, e dizendo “Vitória!”, “Vitória!”, “Eu te amo, Vitória!”. Cara chato!
- Diga isso. Você não gosta dele!
- Que seja. Pronto, a partir de hoje, quem me perguntar, eu digo “Detesto Benigni!”.
- Você disse que gostou de A Vida é Bela.
- Gostei. Mas eu pensei que ele tinha morrido ali. É o mesmo cara nesse filme!
- Como você é chato.
- Eu sou. Mas ele também. “Vitória!”, “Vitória!”, “Não sei o quê, Vitória!” Puta que pariu!
- Porra, Paulo. Você peidou?
- Graças a Deus.
- Nojento!
- “Vitória!”, “Vitória!”, “Vitória!”, Vá se foder ele e a Vitória dele.
- Eu pedi tanto a Deus um homem educado, que não palitasse os dentes, que não arrotasse, que não peidasse junto de mim.
- Eu só pedi uma buceta.
- Seu ogro!
- Tô com fome. Vou comer alguma coisa.
- Egoísta!
- Porra, quer comer, diga “eu também tô com fome!”
- Já sei. Tem o restinho da feijoada. Pedi primeiro!
- Egoísta!

Nina esquentou a feijoada sem dizer uma palavra. Eu também não falei mais nada. Se eu abrisse a boca, seria para gritar da janela “Vá se fuder, Benigni!”. A única coisa que tinha para comer era pão com mortadela. Não gosto de mortadela, mas era o que tinha. Então recorri a minha arma secreta. Queijo ralado. Queijo ralado salva tudo. É infalível. Dois cacetinhos com mortadela e queijo ralado na chapa. As bordas ficaram douradinhas. Talvez eu ficasse o resto da noite com aquele chato na minha cabeça falando “Vitória!”, “Vitória!”, “Meu poema é você, Vitória”. Mas o pão com mortadela e queijo ralado amenizou um pouco o sofrimento. Um resto de Fanta sem gás ajudou a descer. Como de costume, Nina terminou de comer primeiro. Percebi que olhava para o meu sanduíche. Bebia devagar seu refrigerante. Olhava de canto de olho. O pão estava uma delícia. Era só uma questão de tempo. Não demorou, ela pediu “Me dá um pedacinho, tá com uma cara boa”. Pediu penico. Ganhei. “Tome, mas não tire desse pedaço aqui, que tô guardando pro final!”. Meu golpe de misericórdia. Eu sou foda.

Ao contrário do que acontecia com a Regina, que quando falava mal da Legião Urbana, eu tinha vontade de explodir uma granada em sua boca, eu nunca quis ganhar nem uma batalha contra Nina. Por mim, ela ganhava todas, até na dama. Ela achava que eu queria estar certo o tempo todo. Mas muitas vezes eu torcia para estar errado numa aposta contra ela. Gostava de vê-la vencedora, sorrindo, orgulhosa, tirando onda porque estava certa. Toda gostosa. Mas naquela noite não ia ter perdão. Agüentar Benigni foi foda. Eu queria vingança. Era só uma questão de tempo. O suficiente para ela descansar da feijoada. Logo, eu a atacaria pela retaguarda.

26 comentários:

V.P disse...

Bem neurotico. Qualquer coisa é qualquer coisa quando as coisas não andam bem. Ninguém precisa aturar Benigni, mas dormir, peidar e reclamar é que nem coceira: é só começar. O que não dá pra abrir mão é de feijoada amanhecida, pão com mortadela e queijo derretido. Com um banquete desses e um cheirinho de queijo queimado no ar, nada como uma boa trepada para fazer as pazes. Pra vingar, leva Van Dame pra encerrar a noite. Ou reprise do jogo do Flamengo.

Her disse...

Olá!

Benigni às vezes é chato, mas dou boas risadas com ele! E você por que não faz uma tatuagem escrita "Odeio Benigni"?! Ah, ah, ah...
Muito bom seus textos, seus diálogos são ótimos, parabéns!!!

Até mais!

Stephanie disse...

eu não entendo essas mulheres que dizem "eu não queria um homem que palitasse os dentes perto de mim", mas depois ficam torcendo pro sujeito jogar o palito fora e atacá-la na pia da cozinha - se não gosta, não dá, que coisa!

paradise now é legal. Ainda bem que não traduziram o título! e tirando a vida é bela, o outra filme que eu vi o benigni foi aquele do asterix que ele era o cesar - nunca achei nada demais nele.

mais um texto do cacete Paulo! e pão com kotadela na chapa é ótimo!

=)

Jana disse...

Não suporto o Benigni. Ah, eu nem de A Vida é Bela Gostei. Achou que sou mais ranzinza que você. Também não curto a Sofia Copolla, disse que gostei muito mais de A Garota da Vitrine que Lost in Translation no meio de publicitários. A falta de dialogos dela e a repetição de cenas desnecessária me faz querer roer os pulsos.

Beijos, rei.

4rthur disse...

Benigni é chato pra caralho. "Bongiorno, principesa" é a puta que pariu. O filho da puta roubou o Oscar que iria pra Central do Brasil. Bom, mas foda-se, também não morro de amores por esse prêmio hollywoodiano de merda.

Se a Nina queria um cara que não palitasse os dentes ela se fudeu, né não, cara?

E sobre vingança, este é precisamente o tema da minha próxima postagem. Segunda penduro lá no blog.

Abraço, você é foda - eu, Jana, Nina, Gigi e mais uma galera sabemos disso.


ps - A aliteração "jana nina gigi" me lembrou Gina, a tua marca de palitos de dente. E Gina lembra aquela parte da anatomia feminina que você pediu a Deus. Como você vêm tudo se encaixa em perfeita harmonia.

Vá, Gina!

Fábio Souza disse...

Bono este texto está fantáááástico cara! você realmente é um gênio e te digo isto do fundo do meu coração.
Não acho que o enfoque do seu texto seja este tal de Benigni mas sim o bucólico cotidiano de um casal que mora junto, se diverte junto e briga junto! por que não? e que por falta de grana ou até mesmo de tempo não tinha em sua geladeira uma refeição "normal", mas no final fez as pazes junto. Pôxa vida! o detalhe e a simplicidade do queijo ralado, do pão com mortadela, da fanta sem gás, só não é melhor do que quando você diz: "eu nunca quis ganhar nem uma batalha contra Nina. Por mim, ela ganhava todas, até na dama." Acredito que esta seja a mensagem do texto.
Caramba primo! este texto me fez lembrar das interpretações de texto que faziamos na época do ginásio, sabe por que? Porque você disse o que você NÃO escreveu... por isso seu texto na minha opinião é gênial e passa uma bela mensagem.

Parabéns!!!!

P.s: Ah!quem é benigni mesmo?

Abração Primo.

Ane Brasil disse...

Benigni? táquepariu, chato pra carai.
não tiro sua razão em ter dormido.
Nhá, mas o amor é lindo, né mesmo!
Só o amor resiste a Benigni, mortadela e feijoada de ontem.
Sorte e saúde pra todos!

Jota disse...

Só fodendo, pra compensar por um filme com esse Benigni.

Marcos Carneiro disse...

Tá certo mesmo, Bono.
Porra de vitoria!
Bora Baea, minha porra!

Padre Alfredo disse...

Genial Bono.
Imagino vcs dois após um BAVI.
Bizarro!

FOXX disse...

mais uma bora de arte!
genial!

ou naum seria
bravo!
igual ao begnini?

Anônimo disse...

Bono meu querido amigo!
É impressionante como você consegue nos puxar pra dentro do texto durante a leitura. A facilidade com que você fala do cotidiano me transporta pra sua história e me convence que aquilo tá acontecendo.
Mais um texto do caralho!
Você é foda!!
Abração!
Breno Barretto

SAMANTHA ABREU disse...

eu tô na "galera" que Arthur disse. Você é fodáço, Bono!
;D

Adoro ler isso aqui, me diverte tanto quanto a Nina me divertiria, caso ela se tornasse uma das minhas "Mulheres sob Descontrole".

Diálogos dos meus favoritos esse seu aí.
putaquepariu.

Um beiJO!!!!!

gigi disse...

Eu não tenho saco pra ver filme algum. Eu odeio arroto, peido e afins. Mas o pior mesmo é arroto. Esse é justa causa na hora.

Amo seus textos, sabe? Te acho um gênio.

Amo o Arthur e suas infâmias também.

Vá, Gina.

Debs disse...

Enquanto lia seu texto, deu vontade de dizer "que merda de homem, putaquepariu".

Mas, como você escreve bem pra caramba, continuei lendo e acabei gostando, muito. Acabei gostando até da merda de homem – você?

De mentirinha ou não, é uma bela merda de homem muito da bem escrita.

Abraços!

Adriano Caroso disse...

Vc é realmente foda! Não gosto disso, mas tenho que concordar. Nina que me perdoe. Mas, não custa ser mais cavalheiro. Pra que peidar do lado da menina? Dizem que peido de gordo fede pra caralho! Ela tinha que ter mais personalidade e mandar vc se fuder! Enquanto isso, vá deliciando seus leitores com essas crônicas maravilhosas. Definitivamente, sou seu fã!

Adriano Caroso disse...

Não entendo porra nenhuma de filme. Sou um ET no assunto. Mesmo assim, vou dar a minha opinião sobre "Central do Brasil" e "A Vida é Bela". Dois filmes do caralho! Me desculpe Arthur, mas ninguém roubou nada de ninguém. Alguém tinha de ganhar e, neste caso, foi o outro. Merecido sem dúvida. Essa merda de estatueta é uma máfia que só vai chegar na mão de brasileiro depois que muita gente tiver engolido sapos assim. Mas eu pergunto agora: que valor tem um prêmio de cartas marcadas? Igual ao FAMA da Globo? Só a indicação já é a prova que não dá mais pra ignorar a gente. De resto, eles que se fodam. Nei Lisboa mandou o prêmio SHARP tomar no cú e não foi lá recebê-lo. Continua no anonimato pra muita gente. Pra quem interessa à ele, é um artista do caralho e seu trabalho é uma referência. Conhece Nei Lisboa? E vc Arthur, conhece este cara? Parabéns aos dois. Mas, volto a falar, páreo duro entre os dois filmes. Bairrismos à parte, ganhou um que tem muita qualidade, gostem vcs de Benigni ou não. Pelo menos isso ameniza nosso orgulho ferido! O resto que se foda!

Marcelo Mendonça disse...

Você perde a mulher mais não perde o texto né rapaz? Fico pensando a cara dela lendo isso, até me perguntado se é pura ficção e até torcendo pra que seja mesmo.
abraço Bono, vc é retado.

Bianca Feijó disse...

Hahaha..tasquipariu!
Diálogo genial...

Nossa, mas ninguém merece mesmo ir a festa onde tem mulher falando de Big Brother...

Se bem que gostar de Benigni não fica muito para trás...

Tive que rir muito quando vou deixou a borda do pão para o final, eu sempre faço isso, deixo a melhor parte para comer no final...

Muito bom Bono, vc é foda pra caralho!

Ciro disse...

Diálogos geniais! Muito bom o texto! Tem um quê de Bukowski!

Ivan Dmitri disse...

Fazer o que? entrar na fila e repetir, como quem coloca uma moeda no chapeu do artista: texto do caralho!

Amanda disse...

Benigni pode ser chato. Big Brother Brasil tb é. Futebol brasileiro, cpi no Congresso, e mesmo assim todo mundo assiste. Um cara que peida e arrota na frente da namorada sem qq cuidado não pode entender pq muitas mulheres gostariam de ser chamadas de Principesa. Gosto é gosto. Alguns lamentáveis. Benigni não é dos piores. Já mortadela com queijo...

BABI SOLER disse...

Depois vou experimentar mortadela com queijo ralado.
Um beijo

4rthur disse...

Caroso, vou te contar uma coisa sobre o Benigni ter levado o Oscar: no fim de A Vida é Bela, depois do Benigni ter sido morto (infelizmente, apenas na ficção), aparece um tanque com um oficial AMERICANO para salvar o garotinho. Precisa dizer mais alguma coisa?

Samantha Intimitè e Bianca Feijãozinho também aderem ao bordão: Paulo Bono, tu é foda.

SAMANTHA ABREU disse...

Ah! Não morra de ódio das minhas tristes.. tadinhas...
eu tbém prefiro as descontroladas, mas elas são geniosas: saem quando querem... ahahahaaa.

Um beijo, Bono!

Rackel disse...

Poxa... não sei mais o q é melhor aqui nesse blog, se os textos ou os comentarios da galera! rs

Ah... sei q serei 'excomungada' por isso, mas adorei 'a vida é bela' e mesmo lendo essas opiniões bem mais intelectualizadas q a minha, continuarei achando q esse filme mereceu mais o oscar q o 'central do brasil' (não querendo desmerecer o nacional, só q diante do filme do benigni não dava pra fazer mta coisa...)

bjs e bons ventos aqui no blog