19.8.07

Depois da faxina

Da janela do quarto eu vejo a empregada do vizinho. Ela vem, pega a vassoura, vai, vem de novo, pega o rodo, o pano, o balde. Vai e vem o dia todo nos seus afazeres. Com a sua saia curta e fina que revela suas coxas beijáveis e a calcinha enfiada no cu. Melhor quando vai para o tanque. Enquanto esfrega camisas e cuecas sujas, balança aqueles peitos pontudos que, sob a blusinha florida, se refrescam com os espirros d’água. O cara deve estar comendo. Quando a mulher vai ao shopping com as crianças, deve rolar, no mínimo, um bola-gato. Sorte a dele.

Realmente tem um tempo na vida do homem que a maior sorte é ter em casa uma empregada gostosa. Para comer ali no tanque ou fazer um lanchinho de madrugada. Para fazer-lhe uma visita surpresa em seu quartinho. Aquele quartinho de paredes com fotos do Thiago Lacerda. Para atochar-lhe bem quando debruçada na penteadeira. Aquela penteadeira onde ficam os perfumes baratos, a lixa de unha, o batom cor-de-rosa e a caixinha de música cheia de sonhos.

Meu pesadelo foi ter tentado a minha primeira vez com uma dessas fanáticas pelo Wando. A mulher parecia um saco de genipapo de tão feia. Além de me dar um coice, a desgraçada ainda contou para minha mãe. Foi um inferno. Ao contrário dos minutos celestiais em que eu passava chupando os seios de Lúcia. A auxiliar do lar mais bonita que já vi. Seios tão suculentos quanto suas omeletes. “Fala que me ama” - Ela dizia. “Eu te amo” – eu dizia. Mas um dia ela partiu. Foi embora para o seu sertão. Sem ao menos uma chupada de despedida, nem a omelete do dia.

Então o dia acaba, e a empregada do vizinho sai para comprar o pão. Toda perfumada. Toda ela. Vai aproveitar e trair o patrão com o taxista da esquina. Apenas olho da janela.

22 comentários:

Jana disse...

então,

uma amiga minha é originalmente da serra, ela tem uma irmã que é casada e tem três filhos. E por isso ela tem o corpo pós-três-partos que toda mulher que não trabalha no seriado da Sony tem.

Ela arrumou uma empregada de 15 anos, corpão violão e só fazia faxina de bikini. Isso mesmo BIKINI.

é por essas e por outras que para onde eu for, vou levar a Dona Lidu comigo, mesmo que os omeletes dela não sejam essas coisas toda.

Beijo grande!

Menáge à Trois disse...

Essa Jana só conhece doido mesmo!! Onde já se viu, a garota faz faxina de biquini!!!!
Voltando ao seu texto, para começar adorei!!!
Acho que todo garoto sonha com um momento pós cozinha com alguma menina que trabalha em casa, as vezes senhoras de idade, mas que por um motivo oculto lhe inspiram grandes sensações, sem dúvida, muitas delas na surdina dos banheiros juvenis. Nesse caso, entendo plenamente pq a tara pela fanática do Wando.
è nesses momentos que eu agradeço a Deus por não ter nascido homem.

Bjos

Como ninguém

Breno Barretto disse...

Meu querido, esse texto me trouxe algumas boas lembranças da adolescencia.
Nessa epoca, eu tinha uma tia que eu não costumava visitar (na verdade nunca tinha visitado antes), até que minha mãe me convidou pra ir a casa dela por conta do seu aniversario. Fui pirado, achando que seria uma chatice, aquelas festas familiares que você não conhece ninguem. Mas conheci a empregada dela, que meu primo dizia que comia, passei a visitar minha tia frequentemente, até minha tia pegar nos pegar no flagra e demitir a gostosa! Foi minha ultima visita a minha tia!
Abraços!

Marcelo Mendonça disse...

Salve Paulo! Elas sabem se divertir e variedade é a dose certa.

Emerson Wiskow disse...

Opa! Vamo q vamo, parceiro!
Abração

Joana disse...

que cretinooooo você!
uhauhauhauuha

4rthur disse...

diria pra moça a frase clássica:

se eu cozinho, eu como.

Adri disse...

Eita muiézinha ordinária

Jana disse...

Paulo,

O segredo de ser cosmopolita é ter família que more em todos os lugares para que assim vc não gaste dinheiro com estádia. O caro é estádia, a passagem a gente parcela pra sempre.

Na minha cidade publicitário não curte maconha, curte umas "inas" ai, e não é Janaina.

Totalmente desconexo, mas ontem, meu brinco abriu e caiu no chão, o ganês apanhou e se ofereceu pra colocar, fiquei assustada e disse que não obrigada. Já pensou se ele fizesse um piercing estranho em mim?

4rthur disse...

falei pra Jana que tenho um amigo que se internou numa clínica de desintoxicação porque estava dependente de muitas INAs. E, acredite, não estava falando de piscina, gelatina e muito menos de menina.

Jana disse...

voltei, só pq fiquei obssecada com essa história deu escrever estádi no lugar de estadIa.

Quero que a mina que saca de átonos e tônicos da redação do blog do arthur escreva uma pornochanchada com isso.

O Arthur tinha que dizer que quem me ensinou a chamar as drogas de INAS tinha sido ele, que sINA!

madstore disse...

gostei do intimismo realista. Muito bom.

grande abraço

poupéezinha disse...

sonho de todo adolecente (e de seu pai tb), uma auxiliar goxtosa;
pesadelo das mães, e quanto mais rebentos, mais perigoso fica pras duas...
baby, arrasaste-
como sempre;

Padre Alfredo disse...

lavou, enxugou, tá novo!

gigi disse...

excelente.

Jana disse...

estou cansada de vir aqui todo dia e ver o dia de faxina. Já tá criando teia.

Tb já li todos os posts passados.

O meu favorito foi a sua procura pelo jeans perfeito.

Deixa eu te falar um negócio, um dia vc vai publicar um livro, eu vou comprar uma passagem de $50,00 da gol, vou estar na sua noite de autógrafos com meus óculos fashion, e vc só vai me reconhecer pq eu vou estar segurando um saco cheio de pacotes de biscoito Bono.

Vc vai dizer uns 5 palavrões pela surpresa, eu vou ter que dizer 10 pq sou competitiva. Independente de qtos vc disser, vou dizer o dobro, vai ter uma hora que vou ter que inventar.

A gente vai se abraçar, vou bater na sua barriga e vc vai bater na minha bunda. Por meio segundo vou ficar ofendida, ai vou lembrar-me que todo mundo, TODO MUNDO na Alemanha pegou na minha bunda (é uma coisa cultural) e não vou me importar.

gigi disse...

Ela traz um monte de outras velhas lá de Santo Amaro pra ficarem arranhando garfo no prato, e todo mundo dizendo que aquilo é música. Boa merda.

[...]

Se eu visse dona Canô em pé no ônibus, eu cederia o lugar pra ela sentar. Mas discordo completamente desse símbolo sagrado que fazem dela.

*

Amei. Amei tudo. O blog todo. Acabo não postando no meu porque passo os dias lendo os outros.

bjs

Danilo Lemos disse...

Eu moro em copacabana. O que eu já vi de puta da minha janela fazendo as maiores sacanagens no meio da rua, não tá no gibi!
Bom texto rapaz!
abs

4rthur disse...

O Bono é gente buena. Mas é baiano e demoooora pra atualizar...

Jota disse...

É, meu camarada, eu nunca tive empregada lá em casa que quisesse jogo. na verdade, até tive. Mas aí, quem não sabia o que fazer era eu, de tão pirralho. Assim, não rola.

E você pode ser baiano. Mas eu, Potiguar, demoro mais a atualizar do qeu você.

Valendo uma aposta?

Guiga disse...

Esse post (muito bom, por sinal!) me lembrou da música da Graforréia Xilarmônica:

"Quando eu dei por mim
Eu já não tinha quase nada
Daquilo que eu sentia
Pela minha empregada

Quando eu dei por mim
Eu quase já tinha perdido
O pouco do amor
Até então, desconhecido

Tanto faz
Se ela for pro interior
Eu vou atrás
Sempre atrás do seu calor"

alvarêz dewïzqe disse...

nossa... uma mulherzinha debruçada no tanque é uma delícia mesmo... um contive.